Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Investigação de 22 mortes em hospital

Notícias

Saúde

Investigação de 22 mortes em hospital


O Ministério Público do Estado (MP-ES) solicitou a instauração de inquérito policial para apurar as mortes de 22 pacientes no setor de hemodiálise da Santa Casa de Misericórdia de Guaçuí, na Região do Caparaó.

A medida é um desdobramento da operação Carro de Boi, deflagrada no último dia 7, que resultou na prisão de 11 pessoas, entre médicos, empresários, provedores e ex-provedores do hospital filantrópico, em função de irregularidades encontradas na instituição.

De acordo com o promotor de Justiça Gino Martins Borges Bastos, a denúncia foi feita por um paciente renal crônico do hospital, que procurou o Ministério Público para reclamar que as máquinas de hemodiálise estavam constantemente com defeito. O paciente relatou ainda que foram 16 mortes no ano passado e seis este ano.

“São números alarmantes e se ficar constatado que as mortes têm relação com a ineficiência no atendimento, os proprietários das empresas poderão ser responsabilizados”, disse o promotor.

Santa Casa de Guaçuí (Foto: Reprodução TV Tribuna)
Santa Casa de Guaçuí (Foto: Reprodução TV Tribuna)

O paciente afirma que faz hemodiálise três vezes por semana e que não tem hora para entrar ou sair, pois as máquinas apresentam defeito. Algumas vezes, disse, ele precisa revezar com outro paciente, ficando cada um meio período.

O MP ainda recebeu denúncia de que o hospital estaria cobrando por cirurgias custeadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Um paciente da Santa Casa apresentou recibo de R$ 2.009 por uma operação de hérnia em sua mãe.

Segundo ele, o médico disse que a cirurgia ficaria em R$ 3,8 mil e que parte seria custeada pelo SUS e a outra pelo paciente, o que é proibido. O MP-ES informou que espera que a apuração da polícia seja concluída em 30 dias. Uma audiência pública foi marcada para o dia 27 de junho para discutir as supostas irregularidades.

O delegado de Guaçuí, José Maria Simão, ressaltou que assim que a solicitação do MP chegar à Polícia Civil, as medidas cabíveis sobre o caso serão analisadas.

Segundo os responsáveis pelo setor de hemodiálise da Santa Casa, não há registros de mortes de pacientes durante as diálises, ressaltando que pacientes renais crônicos já têm outras complicações de saúde. O hospital disse que está colaborando com as investigações e que o atendimento está normal.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados