X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Homem é demitido depois de ironizar a morte de George Floyd

| 11/06/2020 13:43 h | Atualizado em 11/06/2020, 14:18

Um agente penitenciário e um funcionário da empresa de remessa expressa de correspondências FedEx foram punidos após ironizarem os protestos antirracistas nos Estados Unidos. Os dois reencenaram a morte de George Floyd diante de manifestantes na cidade de Franklin Township, em Nova Jersey.

O agente penitenciário foi suspenso e o outro homem foi demitido. Eles recriaram a cena da morte de Floyd, com um ajoelhando sobre o outro – Floyd foi asfixiado durante uma operação policial violenta em Minneapolis, em que um agente apoiou os joelhos sobre o pescoço da vítima durante oito minutos. 

Vídeo
A cena viralizou nas redes sociais por causa de um vídeo que mostra o momento em que manifestantes andam pelas ruas gritando "George Floyd" e "Black Lives Matter" (Vidas Negras Importam).

Homens ironizam a morte de George Floyd
Homens ironizam a morte de George Floyd |  Foto: Reprodução de vídeo
Em uma das casas, no entanto, a filmagem mostra que um grupo de homens recria a cena da morte de Floyd, com um ajoelhando sobre o outro. Outros dois homens também participaram da encenação: um filma com um celular e o outro grita que "todas as vidas importam".

O Departamento Penitenciário de Nova Jersey se pronunciou e disse que o funcionário foi suspenso até a conclusão da investigação.

"O indivíduo foi suspenso de seu posto e banido das instalações enquanto aguarda uma investigação completa e rápida", afirmou o comunicado. Já o outro homem identificado era funcionário da empresa FedEx e foi demitido.
 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS