search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Indústrias vão aumentar produção e contratar 10 mil pessoas

Notícias

Economia

Indústrias vão aumentar produção e contratar 10 mil pessoas


“Olhando para frente nós temos todos os sinais de que, de fato, nós fizemos a nossa grande travessia e estamos prontos para arrancar com números mais expressivos.”

A frase, que tem como autor o vice-presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo, José Carlos Bergamin, retrata as projeções do setor para 2020: a estimativa é que o segmento aumente a produção e abra cerca de 10 mil novas vagas no Estado a partir de janeiro.

A previsão é que 2019 feche com 9 mil vagas criadas (de janeiro a setembro foram 6.512 admitidos a mais que os demitidos). Já para 2020, a previsão é que aumente 15%, ou seja, 10.350.

“Nós não acreditamos que a gente terá meses com mais dificuldade. Acho que vai continuar crescendo de uma maneira ascendente. E o que é muito importante: ninguém está acreditando que vai crescer enormemente, que vai se dá um salto. Está todo mundo consciente que é uma construção lenta e constante que vamos produzir a partir de agora, que é o mais importante.”

A gerente de RH da Viminas, Rubilene Pimenta, afirmou que nos últimos 90 dias já contratou 76 pessoas e ainda há vagas. (Foto: Leone Iglesias/AT)
A gerente de RH da Viminas, Rubilene Pimenta, afirmou que nos últimos 90 dias já contratou 76 pessoas e ainda há vagas. (Foto: Leone Iglesias/AT)


Ao dividir o Estado, Bergamin destacou as regiões Norte e Noroeste, assim como o Sul e justificou o potencial de cada lugar, com atividades diversificadas.

“Agora o ambiente interno está seguro e otimista que, de fato, a virada aconteceu. A gente acredita que vamos viver novamente esse novo e grande ciclo. É claro que numa situação até melhor que a anterior porque a economia está muito mais diversificada, está muito mais dinâmica, não vai ser concentrada provavelmente na Grande Vitória. Aqui vão ficar mais as inteligências, as gestões e as estratégias das empresas devem estar mais aqui.”

Já no Noroeste, a vocação é para o setor de vestuário, especialmente São Gabriel da Palha. Já em Colatina, o destaque é para metalúrgica. Em Linhares, é mais diversificado, como o setor moveleiro.

No Norte, o destaque é para Aracruz e região, pelas características, a exemplo da cadeia de petróleo e gás. Já no Sul, a volta da operação da Samarco trará muitas oportunidades de emprego para Anchieta e imediações, segundo Bergamin.
 

Leia a reportagem completa no jornal A Tribuna deste sábado (9).


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados