search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Importância da dor para a preservação da vida humana
Doutor João Responde

Importância da dor para a preservação da vida humana

Saúde e doença saem de um tronco único, visto que têm uma só e mesma base: a dor de crescer. Dor é uma experiência sensorial desagradável associada com lesão tecidual real ou potencial, refletindo a sensação de ameaça à integridade da pessoa.

Como ela é um experimento, cada ser irá vivenciar a dor de forma diferente.

Como está intimamente ligada à maneira como lidamos com ela, não dá para separar dor de emoção.

Antigamente, se acreditava que a dor pudesse surgir do coração, tamanha é a relação entre ela e a emoção.

A dor alerta ao cérebro que o organismo pode estar em perigo, mesmo que não tenha havido nenhuma lesão física.

Embora incômoda e desagradável, ela desempenha a função biológica de manter a plenitude da vida, contribuindo para a preservação da espécie.

Estímulos térmicos, mecânicos, químicos e elétricos podem causar dor rápida ou lenta, com manifestações localizadas, irradiadas ou referidas.

Existem dores que, apesar de produzirem sensações no corpo, nada têm a ver com o físico, ou seja, não existem alterações nos tecidos.

Denominadas psicossomáticas, essas algias manifestam-se no organismo, não pelo fato de haver um problema nele, mas porque existe algo em nível psicológico, mental e ou emocional. Estas dores enganam pacientes e médicos, se mostrando reais e dolorosas.

Em algumas situações, as dores psicossomáticas têm uma mistura de dor física e emocional.

Estando interligadas, torna-se difícil saber por onde elas começam e, mesmo quando se descobre, levam tempo para serem esclarecidas.

As manifestações dolorosas psicossomáticas também são encontradas em dores crônicas e, o fato de agirem no corpo, levam os pacientes a nunca acreditarem que elas tenham uma causa emocional.

Este é o principal motivo porque muitas dores crônicas não conseguem ser eliminadas.

A maior parte dessas desordens está muito abaixo do nível de consciência do indivíduo, fazendo com que ele não perceba que existam realmente.

Por mais que olhe para o seu passado, a pessoa nunca consegue encontrar nenhum trauma, problema emocional ou algo que possa ser responsável pelas suas dores.

Além das emocionais, existem dores denominadas “existenciais” ou da “alma”. As dores psíquicas se devem a conflitos internos ou externos que a pessoa vive ou viveu. Estas dores alteram o funcionamento dos sistemas nervoso e hormonal, provocando quadros de depressão, ansiedade, inquietude, apreensão, medo, etc.

Caso não sejam resolvidas, as dores emocionais acabam por serem somatizadas com as consequências que daí surgem, quer em termos de modificações físicas, com os respectivos problemas de saúde, quer em alterações mentais, com as respectivas consequências.

Muitas vezes, qualquer terapia que ajude a reduzir o estresse pode ser benéfica na eliminação das dores emocionais, pois a pessoa aprende a olhar, dominar e resolver seus assuntos, conflitos e sofrimentos existenciais.

Dor existencial é algo bem mais profundo e que está fora do controle racional e consciente. Dor da alma é aquilo que se sente, mas que não se vê como tal e que não se consegue controlar.

Dor existencial é aquele tormento que habita no inconsciente, que dói lá, está lá, mas que não se consegue alcançar.

Dores da alma requerem uma abordagem diferente e com mais profundidade. Dores existenciais raramente têm relação com conflitos conhecidos ou vividos, acontecimentos estes que provocam dores emocionais. As dores da alma têm mais a ver com o funcionamento mental.

Filha da vida, a dor é a grande mestra do ser humano. Quem nunca sofreu não se conhece. Mudamos, quando a dor é maior que o medo da mudança.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Doutor João Responde

O asfixiante coronavírus

Flutuando no ar, esse invisível inimigo se espalha por meio de gotículas transmitidas ao ar pela respiração, principalmente quando ocorrem espirros e tosse. Estando presentes ao redor, indivíduos …


Exclusivo
Doutor João Responde

Higienização com álcool em gel

Qual a diferença entre desinfetante, antisséptico e esterilizante? Desinfetar é destruir aquilo que causa infecção. Antissepsia é limpar algo contaminado. Esterilizar se refere a um processo de …


Exclusivo
Doutor João Responde

Em busca da vacina milagrosa

Vivendo entre o sonho e a realidade, ninguém é imune à sentença do tempo. A ansiedade é inimiga mortal da nossa paz. A paz é amiga vital da nossa saúde. Estamos atravessando um período dramático…


Exclusivo
Doutor João Responde

Complicações contra a Covid-19

Indagados por não estarem usando máscaras, muitas pessoas afirmam que são resistentes à Covid-19. Esta declaração categórica é bastante perigosa, uma vez que, diante da pandemia, ninguém pode dispor …


Exclusivo
Doutor João Responde

Baço, um órgão pouco lembrado

A designação desse órgão abdominal originou-se pelo fato dele ser embaçado, não se deixando ser atravessado pela luz. O baço sempre constituiu um desafio à curiosidade dos investigadores que …


Exclusivo
Doutor João Responde

Nossa memória imunológica

Quase ninguém se recorda da última vez em que ficou doente por conta de uma infecção microbiana, mas o sistema imune lembra bem desse momento da vida, assim como de vários outros anteriores. …


Exclusivo
Doutor João Responde

Esses malditos vírus

Nada garante a saúde permanente do ser humano. Por mais que a vida seja protegida, nada assegura a manutenção da tranquilidade do amanhã. Por esse motivo, a ciência toma conclusões como verdades …


Exclusivo
Doutor João Responde

Maconha não é droga inofensiva

Quando aquele jovem apareceu no consultório, eu já sabia boa parte da história que ele iria me contar. Preocupada, sua mãe havia ligado antes, me passando algumas informações a seu respeito. …


Exclusivo
Doutor João Responde

Minha vesícula encheu de pedras

Semanas após ter sido encaminhada para extrair a vesícula biliar, a paciente retornou ao meu consultório. Satisfeita, ela afirmou: “Minha cirurgia foi um sucesso, doutor”. Nada lembrava a …


Exclusivo
Doutor João Responde

Estou magro, mas sou gordo

Doze meses após se consultar comigo, o paciente reapareceu. Lembro-me quando ele chegou pela primeira vez. Lá estava, diante de mim, um adiposo jovem, carregando lipídios, complexos e desânimo. …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados