search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Greta preferida para receber Nobel da Paz

Notícias

Publicidade | Anuncie

Internacional

Greta preferida para receber Nobel da Paz


Ativista ambiental Greta Thunberg durante o movimento Fridays for Future para ressaltar o elo entre os danos ambientais e sua ameaça à paz e à segurança (Foto: Instagram of Greta Thunberg)
Ativista ambiental Greta Thunberg durante o movimento Fridays for Future para ressaltar o elo entre os danos ambientais e sua ameaça à paz e à segurança (Foto: Instagram of Greta Thunberg)

O Prêmio Nobel da Paz deste ano pode ir para a ativista ambiental Greta Thunberg e o movimento Fridays for Future para ressaltar o elo entre os danos ambientais e sua ameaça à paz e à segurança, afirmam especialistas.

O vencedor do prêmio de US$ 1 milhão (R$ 5,2 milhões), possivelmente a maior honraria do mundo, será escolhido entre 318 candidatos e anunciado em Oslo no próximo dia 9 de outubro. O prêmio pode ser dividido entre até três pessoas.

A sueca de 17 anos foi indicada por três parlamentares noruegueses e dois parlamentares suecos. Se vencer, ela receberá o prêmio com a mesma idade da paquistanesa Malala Yousafzai, a laureada mais jovem do Nobel até hoje.

Asle Sveen, historiador e autor de vários livros sobre o prêmio, disse que Greta é uma candidata forte para a homenagem de 2020, sua segunda indicação em igual número de anos, já que os incêndios florestais da Costa Oeste dos Estados Unidos e o aumento das temperaturas no Ártico “não estão deixando dúvidas nas pessoas” a respeito do aquecimento global.

“Nenhuma pessoa fez mais para levar o mundo a se concentrar na mudança climática do que ela”, disse Sveen.

O comitê já deu o prêmio a ambientalistas, o primeiro deles à queniana Wangari Maathai em 2004 por sua campanha para plantar 30 milhões de árvores em toda a África, e em 2007 a Al Gore e ao Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas.

Em plena crise do coronavírus, o comitê também poderia decidir ressaltar a ameaça das pandemias à paz e à segurança, opinou Dan Smith, diretor do Instituto Internacional de Pesquisas da Paz de Estocolmo. “Existe uma relação entre danos ambientais e nosso problema crescente com pandemias, e me pergunto se o Comitê do Prêmio Nobel pode querer ressaltar isso”, disse ele à Reuters.

Ativista

O movimento Fridays for Future começou em 2018, quando Thunberg iniciou uma greve escolar na Suécia para pressionar ações de defesa climática, e desde então se tornou um protesto global.

Thunberg e seu pai, Svante, que às vezes se encarrega de solicitações da mídia para a ambientalista, não quiseram comentar a indicação.
 


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados