search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Governo reforça combate à violência contra mulher com delegacia especializada em Viana
.
Publicidade | Anuncie

Branded Content

Governo reforça combate à violência contra mulher com delegacia especializada em Viana


 (Foto: Governo do Estado)
(Foto: Governo do Estado)

O Governo do Estado inaugurou, em novembro, a nova Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Viana. A entrega faz parte das ações do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, que tem contribuído para a redução da criminalidade em todo o Espírito Santo. A unidade está localizada no Centro do município e conta com toda a infraestrutura para o atendimento à mulher. Além disso, o espaço serve de referência para a materialização do conceito de segurança cidadã.

Desde o início do ano, o índice de homicídios no Estado teve uma queda de 5,8%. Já o indicador de feminicídio mostra uma redução de 9,7% no período. Ao mesmo tempo, as Delegacias da Mulher realizam um trabalho forte na Grande Vitória e no interior do Estado. Em 2019, o número de prisões em flagrante já superou o total do ano passado: foram 1.148 detidos contra 1.109 em 2018. Somente este ano, foram cumpridos mais mandados de prisão do que no ano anterior (257 contra 240).

O Estado Presente foi criado e implantado pela primeira vez no Espírito Santo no período 2011/2014, com registro de resultados positivos muito expressivos. Ele foi descontinuado em 2015 e retomado este ano.

O programa é estruturado com base em dois eixos estratégicos: o de proteção policial envolve ações como modernização do sistema de segurança pública, enfrentamento qualificado com estratégias específicas, integração operacional e gestão compartilhada da responsabilidade territorial. Já o de proteção social é voltado, principalmente, para a redução da vulnerabilidade juvenil à violência, com inclusão, oportunidades, garantias e direitos, transformação do território, mediação e mobilização social.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados