Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Futuro ministro diz que MEC terá secretaria para cuidar de ensino cívico-militar

Notícias

Educação

Futuro ministro diz que MEC terá secretaria para cuidar de ensino cívico-militar


Ao chegar para a posse de Jair Bolsonaro, o futuro ministro da Educação, Ricardo Vélez, disse que a pasta terá uma secretaria para cuidar de ensino cívico-militar.

De acordo com Vélez, já foi escolhido um secretário para cuidar do assunto e o nome será divulgado no Diário Oficial da União com as nomeações de todo primeiro escalão do governo.

O futuro ministro, que toma posse logo após o presidente, defendeu a participação de militares em escolas públicas do país.

"Não se trata de militarização, se trata de racionalização daquelas escolinhas municipais que queiram participar de um projeto com a presença [de militares]", afirmou.

Vélez disse que uma parceria cívico-militar em escolhas públicas já está em estudo por sua equipe e que os custos seriam baixos.

"Os colégios militares hoje no Brasil representam um modelo que dá certo, que tem disciplina, que tem um bom desempenho nos índices de valorização e avaliação. Esse modelo de colégios militares ou de colégios cívicos militares, como já existem em alguns lugares eu acho que é bom", afirmou.

A ampliação de colégios militares é uma promessa de campanha de Bolsonaro, que já anunciou que pretende ter ao menos uma unidade por Estado do Brasil.

O futuro ministro falou ainda sobre a possibilidade de cobrança de mensalidades em universidades públicas. Como exemplos, citou modelos usados nos EUA e na Colômbia, país onde nasceu.

Segundo ele, a medida teria de passar por uma discussão no Congresso e com a sociedade e levaria em conta a declaração de renda de cada estudante.

"Tem que ser discutida nos canais competentes: Congresso, e fazer um amplo debate da sociedade. Não é uma coisa que vai cair como um raio do céu. Não é uma solução miraculosa", afirmou.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados