search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Furor por causa de 'bonecas trans' faz Ciudad del Este fechar lojas

Notícias

Publicidade | Anuncie

Internacional

Furor por causa de 'bonecas trans' faz Ciudad del Este fechar lojas


A aparição de supostas "bonecas trans" nas lojas causou um furor em Ciudad del Este, no Paraguai. As autoridades intervieram, apreendendo centenas de caixas dos itens e fechando lojas em que eram vendidas.
O procedimento foi ordenado pela prefeita Sandra Zacarías, após a denúncia de moradores dessa cidade localizada na tríplice fronteira com o Brasil e a Argentina e a cerca de 300 km de Assunção, conhecida pelo contrabando e pelas falsificações.

Mulher segura boneca 'trans'. Foto: Reprodução/Internet
Mulher segura boneca 'trans'. Foto: Reprodução/Internet

"Enquanto eu for prefeita, este tipo de artigo não será vendido. Essa comunidade é pró-vida, pró-família", disse ela.

A apreensão e a interdição das lojas que vendiam as "bonecas trans" ocorreram após denúncias de "cidadãos indignados", explicou o advogado da Prefeitura, Cristian Cabral. Um dos denunciantes relatou ter comprado uma das bonecas para presentear sua filha no Dia de Reis. A boneca estava vestida de maneira normalmente atribuída a meninas, como um laço na cabeça e um vestido rosa. Mas ao abrir a caixa (também rosa) em casa, ele descobriu que no lugar de uma vagina havia um pequeno pênis.

De acordo com Cabral, as medidas adotadas buscam "resgatar e proteger os valores familiares e os direitos das meninas, que poderiam ser afetados de maneira negativa".

A dona de uma das lojas, Esther Bazan, afirmou que as bonecas vieram da China e que turistas do Brasil e da Argentina as acharam engraçadas, enquanto outros clientes ficaram ofendidos.

No ano passado, o Paraguai proibiu materiais educacionais sobre diversidade sexual em escolas e o ministro da Educação se ofereceu para queimar todos os livros relacionados ao assunto. "Não vamos promover a ideologia de gênero", afirmou o ministro Enrique Riera. "Vamos nos basear no que está expresso na Constituição, que diz que um casamento é entre um homem e uma mulher."


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados