Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Fraude da venda de carro na internet faz uma vítima por dia

Notícias

Polícia

Fraude da venda de carro na internet faz uma vítima por dia


 Delegada Rhaiana Bremenkamp (Foto: Dayana Souza/AT)
Delegada Rhaiana Bremenkamp (Foto: Dayana Souza/AT)
Em uma trama aparentemente “bem bolada”, como define a polícia, vigaristas têm feito pelo menos uma vítima no Estado na fraude da venda de carro pela internet. As autoridades estão no rastro dos criminosos.

A fraude, também conhecida como o golpe da “triangularização” por envolver três pessoas – dono do carro, vigarista e um comprador interessado –, já fez vítimas perderem até R$ 200 mil.

A titular da Delegacia Especializada de Defraudações e Falsificações (Defa), Rhaiana Bremenkamp Coelho, disse que os veículos variam de motos a carros de luxo, de todos os valores.

Escondidos por trás de computadores, os criminosos ficam atentos a anúncios em plataformas de venda, como a OLX, para dar o bote.

Disfarçados de compradores, eles ligam para o dono do veículo e dizem que o negócio está praticamente fechado. Como parte do plano, pedem que o anúncio seja retirado do ar.

Na sequência, eles clonam os dados do veículo e os contatos do real proprietário e começam a negociar com outra pessoa interessada.

Usando vários argumentos, principalmente de que ele não está no Estado, ele diz ao dono do carro que irá mandar uma pessoa para ver o veículo. No cenário estão frente a frente duas futuras vítimas, que nem imaginam. Ambas não falam em valores, o que é outra parte do plano.

“O golpista diz para o dono do carro que ele não deve falar nada sobre valores com quem irá ver o veículo e nem receber o pagamento diretamente, uma vez que essa pessoa deve uma determinada quantia e somente ele poderia fazer a transação para tentar reaver o dinheiro”, contou a delegada.

Com o negócio fechado, o comprador faz o depósito na conta do golpista, que envia o comprovante do pagamento para o dono do carro. O veículo é entregue e, horas depois, é descoberta a fraude.

“Eles não são do Estado, mas usam DDD 27. Já sabemos que estão em Goiás e Mato Grosso, inclusive em presídios. Todos os dias há, pelo menos uma pessoa registrando esse golpe. Ontem (quarta-feira) duas vítimas vieram aqui.”

Motorista recorreu à Justiça (Foto: Rodrigo Gavini/ AT/ )
Motorista recorreu à Justiça (Foto: Rodrigo Gavini/ AT/ )

“Perdi meu carro em um golpe pela internet”

Buscando reduzir as perdas após ter caído em um golpe na internet, um motorista de transporte escolar, 55 anos, falou sobre o seu prejuízo, que tenta recuperar na Justiça com a ajuda do seu advogado, Fábio Marçal Vasconcellos.

A Tribuna – Quando fez o anúncio do seu veículo?
Motorista – Anunciei em um site de vendas, pedindo R$ 35 mil em novembro. Não percebi que meu anúncio foi clonado.

O golpista fez contato?
Sim. Ele dizia que estava interessado, pois tinha uma dívida trabalhista de R$ 50 mil e o ex-empregado tinha aceitado receber o carro como pagamento de parte dela.

O que eu não sabia é que essa outra pessoa era alguém que tinha visto o anúncio, estava negociando com o golpista sem saber disso. Ele também foi enganado, mas poderia ter desconfiado, pois estava comprando o carro por R$ 27 mil.

Conheceu o comprador?
Sim. O golpista falou que essa pessoa vinha ver o carro e pediu que não falasse muito com ele. O rapaz que estava comprando olhou o veículo, pediu para passar em uma oficina. Depois fomos para o cartório. Lá, liguei para o golpista, que falou que estava depositando o valor. Ele mandou o recibo, preenchemos o registro de compra e venda. Mesmo assim, não entreguei o carro, pois ia aguardar o valor cair na conta.

E depois?
O valor não caiu. O golpista ainda foi debochado e mandou mensagem agradecendo o depósito. Depois sumiu. Comecei a conversar com o rapaz e descobrimos que caímos no golpe. O problema é que dois dias depois, o comprador do carro entrou na Justiça com pedido liminar. Horas depois um oficial estava lá em casa para levar o veículo. Eu fiquei sem o carro e sem o dinheiro. Vou aguardar a audiência na Justiça, pois também fui vítima.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados