Notícias

Polícia

Fraude da venda de carro na internet faz uma vítima por dia


 Delegada Rhaiana Bremenkamp (Foto: Dayana Souza/AT)
Delegada Rhaiana Bremenkamp (Foto: Dayana Souza/AT)
Em uma trama aparentemente “bem bolada”, como define a polícia, vigaristas têm feito pelo menos uma vítima no Estado na fraude da venda de carro pela internet. As autoridades estão no rastro dos criminosos.

A fraude, também conhecida como o golpe da “triangularização” por envolver três pessoas – dono do carro, vigarista e um comprador interessado –, já fez vítimas perderem até R$ 200 mil.

A titular da Delegacia Especializada de Defraudações e Falsificações (Defa), Rhaiana Bremenkamp Coelho, disse que os veículos variam de motos a carros de luxo, de todos os valores.

Escondidos por trás de computadores, os criminosos ficam atentos a anúncios em plataformas de venda, como a OLX, para dar o bote.

Disfarçados de compradores, eles ligam para o dono do veículo e dizem que o negócio está praticamente fechado. Como parte do plano, pedem que o anúncio seja retirado do ar.

Na sequência, eles clonam os dados do veículo e os contatos do real proprietário e começam a negociar com outra pessoa interessada.

Usando vários argumentos, principalmente de que ele não está no Estado, ele diz ao dono do carro que irá mandar uma pessoa para ver o veículo. No cenário estão frente a frente duas futuras vítimas, que nem imaginam. Ambas não falam em valores, o que é outra parte do plano.

“O golpista diz para o dono do carro que ele não deve falar nada sobre valores com quem irá ver o veículo e nem receber o pagamento diretamente, uma vez que essa pessoa deve uma determinada quantia e somente ele poderia fazer a transação para tentar reaver o dinheiro”, contou a delegada.

Com o negócio fechado, o comprador faz o depósito na conta do golpista, que envia o comprovante do pagamento para o dono do carro. O veículo é entregue e, horas depois, é descoberta a fraude.

“Eles não são do Estado, mas usam DDD 27. Já sabemos que estão em Goiás e Mato Grosso, inclusive em presídios. Todos os dias há, pelo menos uma pessoa registrando esse golpe. Ontem (quarta-feira) duas vítimas vieram aqui.”

Motorista recorreu à Justiça (Foto: Rodrigo Gavini/ AT/ )
Motorista recorreu à Justiça (Foto: Rodrigo Gavini/ AT/ )

“Perdi meu carro em um golpe pela internet”

Buscando reduzir as perdas após ter caído em um golpe na internet, um motorista de transporte escolar, 55 anos, falou sobre o seu prejuízo, que tenta recuperar na Justiça com a ajuda do seu advogado, Fábio Marçal Vasconcellos.

A Tribuna – Quando fez o anúncio do seu veículo?
Motorista – Anunciei em um site de vendas, pedindo R$ 35 mil em novembro. Não percebi que meu anúncio foi clonado.

O golpista fez contato?
Sim. Ele dizia que estava interessado, pois tinha uma dívida trabalhista de R$ 50 mil e o ex-empregado tinha aceitado receber o carro como pagamento de parte dela.

O que eu não sabia é que essa outra pessoa era alguém que tinha visto o anúncio, estava negociando com o golpista sem saber disso. Ele também foi enganado, mas poderia ter desconfiado, pois estava comprando o carro por R$ 27 mil.

Conheceu o comprador?
Sim. O golpista falou que essa pessoa vinha ver o carro e pediu que não falasse muito com ele. O rapaz que estava comprando olhou o veículo, pediu para passar em uma oficina. Depois fomos para o cartório. Lá, liguei para o golpista, que falou que estava depositando o valor. Ele mandou o recibo, preenchemos o registro de compra e venda. Mesmo assim, não entreguei o carro, pois ia aguardar o valor cair na conta.

E depois?
O valor não caiu. O golpista ainda foi debochado e mandou mensagem agradecendo o depósito. Depois sumiu. Comecei a conversar com o rapaz e descobrimos que caímos no golpe. O problema é que dois dias depois, o comprador do carro entrou na Justiça com pedido liminar. Horas depois um oficial estava lá em casa para levar o veículo. Eu fiquei sem o carro e sem o dinheiro. Vou aguardar a audiência na Justiça, pois também fui vítima.