Luiz Mantovani


Flamengo já não surpreende ninguém!

Nenhuma surpresa na eliminação do Flamengo da Copa do Brasil. Confirma-se o que temos falado nesse espaço há algum tempo. O elenco atual é superestimado por torcedores apaixonados e por parte da mídia. Vai passar sem ganhar nada de relevante (o campeonato carioca não conta).

Resta, ainda, o Brasileirão este ano. Mas algum rubro-negro acredita que com a apatia demonstrada até hoje em jogos decisivos, a falta de jogadas ensaiadas e de jogadores em condições de desmontar defesas adversárias, como fazia Vinicius Júnior, o Flamengo vai conseguir alguma coisa? Se assegurar uma vaga na Libertadores já estará de bom tamanho.

Os dirigentes que vão ser eleitos em dezembro terão muito trabalho na recomposição do elenco. É preciso repensar tudo, desde o goleiro, que de vez em quando falha, como diante do Corinthians no segundo gol. No primeiro, faltou reflexo. Se fosse o Fábio, do Cruzeiro, provavelmente a bola não teria entrado. Mas aí já é exigir demais...

A zaga é fraca (Réver e Léo Duarte). Não é uma dupla confiável. Os laterais são horríveis. De volantes, o time está razoavelmente servido. Os meias não são produtivos. Possuem boa técnica individual, é verdade. Mas não traduzem a habilidade em jogadas verticais, em busca do gol.

Mesmo Paquetá tem rendido pouco, limitando-se a algumas firulas. Éverton Ribeiro é dos que mais se esforçam, mas as jogadas também acabam em passes errados, em sua maioria. Vitinho deixou seu futebol na Rússia, mas ainda há esperanças de que venha a render o que dele se espera. De Dourado, não se pode cobrar nada. O cara é ruim demais! A culpa nem é dele e sim de quem o escala.

Por falar em técnico, de nada vai adiantar demitir Barbieri agora. Para colocar quem? Renato Gaúcho, a melhor opção, pode ser viável a partir de dezembro. Abel também não aceita pegar um time agora. Melhor deixar a decisão nas mãos do novo presidente. E que seja Rodolfo Landim!