Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Fábrica de meio bilhão de reais não será mais construída no Estado
Economia ES
Rafael Guzzo

Rafael Guzzo


Fábrica de meio bilhão de reais não será mais construída no Estado

Papel higiênico produzido pela Carta Fabril. Foto: Divulgação
Papel higiênico produzido pela Carta Fabril. Foto: Divulgação
Não deu certo. Mais de uma década depois de a Carta Fabril anunciar a instalação em Aracruz de uma fábrica de papel que criaria milhares de empregos, o negócio foi por água abaixo. O investimento seria acima de meio bilhão de reais, mas a demora na execução fez com que o município perdesse a paciência.

A área onde a indústria seria instalada havia sido concedida pela prefeitura. No espaço, a empresa chegou a iniciar obras de terraplanagem, mas, com 10 anos de atraso para o início da instalação de estruturas, a decisão foi por suspender a concessão do terreno, segundo o prefeito da cidade, Jones Cavaglieri.

O empreendimento foi, por mais de 10 anos, considerado estratégico para o desenvolvimento do Espírito Santo. Seria voltado à produção do material chamado tissue, para guardanapos e higiene íntima, utilizando como matéria-prima a celulose da então Fibria, hoje Suzano.

Mas, ironia do destino, a fábrica de papel ficou mesmo só no... papel.

Jones Cavaglieri disse que concessão da área foi cancelada. Foto: Reprodução/Facebook
Jones Cavaglieri disse que concessão da área foi cancelada. Foto: Reprodução/Facebook

 


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados