Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Estudantes fazem ato para pedir por mais segurança na Ufes

Notícias

Cidades

Estudantes fazem ato para pedir por mais segurança na Ufes


Estudantes ficaram preocupados após ataque  (Foto: Jéssica Trucat)
Estudantes ficaram preocupados após ataque (Foto: Jéssica Trucat)

Alunos de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) se reuniram, na manhã desta quinta-feira (14), na reitoria para pedirem por mais segurança no campus. Na manhã de terça (12), uma estudante foi atacada no prédio do curso enquanto esperava o começo das aulas.

Um representante do Centro Acadêmico de Arquitetura e Urbanismo (Calau) está reunido com o reitor, Reinaldo Centoducatte, para debater ações de segurança, enquanto alunos aguardam se manifestando com cartazes. Eles alegam que não há vigilância suficiente no campus. 

As propostas apresentados pelos estudantes foram: vigilante terceirizado atuando como porteiro do prédio de Arquitetura, rondas no Centro de Artes principalmente no começo da manhã e fim da noite, manutenção das instalações físicas, atenção aos jardins e canteiros, fechadura para o Centro Acadêmico e ocupação da cantina do Centro de Artes com eventos culturais. 

Em entrevista ao Tribuna Online na quarta (13), o universitário e representante do Calau Vitor Siqueira, 22 anos, explicou que os alunos já levariam o tema para o reitor na semana que vem, mas anteciparam a conversa devido ao ocorrido. Antes de se deslocarem para o prédio da reitoria, foi feita uma assembleia para tratar do assunto.

As aulas previstas para acontecerem no prédio de Arquitetura ontem foram canceladas, pois alunos mantiveram o local fechado no começo da manhã. Lá, discutiram o que seria levado para a assembleia e o reitor. As aulas do curso em outros prédios da universidade foram mantidas. 

Após o ato de quarta, a Ufes enviou uma nota para informar que “atualmente, a vigilância no campus de Goiabeiras é realizada por meio de vigilantes próprios e terceirizados, além de policiais militares presentes 24 horas no local. Por motivo de segurança, a Ufes não informa o quantitativo de seguranças e policiais que atuam no campus, mas ainda neste primeiro semestre, o quantitativo de policiais militares no campus será ampliado. Além da presença de vigilantes, seguranças e policiais militares, o campus de Goiabeiras conta com um sistema de videomonitoramento, com mais de 400 câmeras que funciona 24 horas.

Outras ações adotadas pela Universidade foi o desenvolvimento do aplicativo Alerta Ufes, que aciona diretamente a central de videomonitoramento, a poda de árvores que estejam prejudicando a iluminação ou visibilidade de alguma câmera, a manutenção da iluminação e substituição de lâmpadas comuns por lâmpadas de led, além do investimento em equipamentos para os seguranças da Universidade".


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados