Notícias

Educação

Espírito Santo tem melhor nota do País no ensino médio público


Na foto, os alunos da Escola Viva, Íris Antunes, Ana Luisa, Hévellyn Monteiro e Higor de Morais. (Foto: Thiago Coutinho/AT)
Na foto, os alunos da Escola Viva, Íris Antunes, Ana Luisa, Hévellyn Monteiro e Higor de Morais. (Foto: Thiago Coutinho/AT)
O ensino médio da rede pública do Espírito Santo teve o melhor resultado em Português e Matemática na edição 2017 do Sistema de Avaliação da Educação Básica, o Saeb, que mede o desemprenho dos alunos do País.

Os números mostram os níveis de aprendizagem dos alunos ao fim de três etapas de ensino: anos iniciais (5º ano) e finais (9º ano) do ensino fundamental e ainda o ano final do ensino médio.

O Espírito Santo teve a maior nota em matemática, de 281, entre todas as redes estaduais do país pelo segundo ano consecutivo. Passou o Mato Grosso do Sul em português e chegou a 277.

Além da rede estadual capixaba, outras oito - das 27 do país - conseguiram no ano passado que seus alunos do ensino médio melhorassem os desempenhos em matemática e português na principal avaliação federal: Rio Grande do Sul, Goiás, Minas Gerais, Acre, Ceará, Tocantins, Sergipe e Alagoas.

Os resultados compõem, combinados com as taxas de aprovação das escolas e redes, o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Tanto a avaliação quanto o índice são produzidos a cada dois anos. Os últimos dados disponíveis eram os de 2015.

Os números apresentados da avaliação federal indicam, mais uma vez, que o ensino médio tem os resultados mais preocupantes entre as séries avaliadas. As redes estaduais concentram mais de 80% dos alunos de ensino médio do país.

Na média das redes administradas pelos governos estaduais, mais uma vez o desempenho caiu em matemática e em língua portuguesa. É a quarta queda consecutiva em matemática.

Essa disciplina teve média de 259 (considerando o desempenho de alunos das redes estaduais). De acordo com a escala de proficiência do Saeb, os estudantes não seriam capazes, por exemplo, de fazer cálculos simples de probabilidade. O índice considerado adequado é 350, segundo classificação do Movimento Todos Pela Educação.

Em língua portuguesa, a nota média também foi de 259. Já nessa disciplina o índice adequado é 300. Ao fim do ensino médio, a maioria dos alunos não seriam capazes de, por exemplo, identificar informação implícita em textos como poemas modernistas.

Ainda em língua portuguesa, o estado que obteve o maior avanço na nota foi o Ceará (passou de 248 em 2015 para 259 em 2017), mas ficou apenas no patamar da média nacional. Em matemática, o destaque é o Espírito Santo, que ganhou quase dez pontos.

Ensino fundamental

Com relação ao ensino fundamental, os anos iniciais mantiveram a tendência consistente de melhoria. A etapa assou de 219 para 224 em matemática -um ponto do considerado adequado.
Em português, a média foi de 208 para 215, já acima dos 200 pontos exigidos como adequados.

Esses dados referem-se à média do país levando em conta as redes municipais, estaduais e escolas privadas. O MEC não divulgou os dados desagregados, o que impede identificar e avaliar o trabalho das redes municipais, por exemplo.

Nos anos finais, a nota de matemática passou de 256 para 258 (adequado é 300) e foi de 252 para 258 em português. O adequado nessa matéria é de 275.