Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Entrevista presencial e filmada para evitar fraude em cotas na Ufes

Notícias

Educação

Entrevista presencial e filmada para evitar fraude em cotas na Ufes


Reitoria da Ufes, no campus de Goiabeiras, em Vitória: matrículas de novos alunos na próxima semana (Foto: Thiago Coutinho/AT - 11/01/2017)
Reitoria da Ufes, no campus de Goiabeiras, em Vitória: matrículas de novos alunos na próxima semana (Foto: Thiago Coutinho/AT - 11/01/2017)

Desde 2008 a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) aderiu ao sistema de cotas sociais. Em 2012, passou a utilizar também o sistema de cotas raciais. A partir deste ano, para evitar fraudes nessas modalidades de reserva de vagas, a instituição mudou o método de avaliação.

Ao invés de solicitar uma foto 10x15 do candidato, como era feito até o ano passado, o cotista será submetido a uma entrevista presencial, que será filmada, durante o ato da matrícula.

De acordo com a coordenadora da Comissão de Validação de Autodeclaração Étnico-racial da Ufes, Patrícia Rufino, o grupo formado por sete pessoas não vai mais analisar fotos dos candidatos para selecionar casos “duvidosos”.

“Agora o candidato entra e já é recepcionado com uma palestra sobre a importância da heteroidentificação e se dirige a uma entrevista filmada com a comissão. Antes, todas as fotos eram avaliadas e só nos casos de fotos duvidosas os candidatos eram chamados para uma entrevista”, afirmou.

Ela explicou que não dá mais para confiar nas fotos, pois há alunos que tentam fraudar as imagens.

“A comissão está mais criteriosa em relação à linha de corte dos candidatos que realmente apresentam fenótipos, porque tem casos de alunos que tentam burlar o sistema e ficam mais tempo expostos ao sol, por exemplo”, citou.

A coordenadora falou que durante a entrevista presencial os verificadores tentam identificar características fenotípicas, ou seja, traços adquiridos de afrodescendentes ou de origem indígena.

Candidato passará por entrevista por vídeo (Foto: Arte: André Felix)
Candidato passará por entrevista por vídeo (Foto: Arte: André Felix)
Com base no edital, a avaliação étnico-racial para ingresso no segundo semestre será realizada na próxima semana, dias 18 e 19, das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 16h30, no ED V do Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE), em Goiabeiras, Vitória.

Os candidatos deverão comparecer conforme data e horário estabelecidos na lista de chamadas.
No ano passado, do total de 1.415 candidatos via sistema de cotas, sendo pretos, pardos e índios (PPI) abaixo e acima de um salário mínimo e meio (R$ 1.431), todos de escola pública, 156 foram convocados para a entrevista presencial.

Destes, 124 compareceram e 26 tiveram a matrícula indeferida. Por meio de nota, o Ministério Público informou que não tem investigações recentes em andamento por suspeita de fraude nas cotas para ingresso na Ufes e no Ifes.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados