Nosso corpo também tem sangue branco

Doutor João Responde
Doutor João Responde
Doutor João Evangelista

Somos feitos de água. Esse precioso líquido é o principal componente do organismo, correspondendo a cerca de 60% do nosso peso. Dentro do nosso corpo, minúsculos e extensos rios cumprem funções vitais para que sejamos um ser pleno. É através da água que os nutrientes chegam às células.

Esta substância fornece a hidratação e ajuda a dissolver os minerais e outros nutrientes para que eles fiquem acessíveis ao organismo. A água também auxilia no trabalho dos rins e do fígado, ajudando a expulsar as toxinas, purificando o corpo. Ela regula a temperatura, protege os órgãos e os tecidos, lubrifica as articulações e previne a constipação.

Além do sangue, nossa conhecida água vermelha, outro líquido corre através do nosso organismo. É a chamada linfa, que significa água.

Um dos mais importantes sistemas do corpo humano é o sistema linfático. Ele auxilia no funcionamento de todos os órgãos do corpo.

Este sistema é constituído por uma complexa rede de ductos que transportam a linfa por todo o corpo. Esta substância aquosa é um fluido que contém linfócitos e anticorpos. Este sistema também ajuda na circulação de outros fluidos corporais e nutrientes essenciais.

O sistema linfático é um mecanismo de defesa que protege o corpo contra doenças como vírus, bactérias, etc. Muitos órgãos estão ligados ao sistema linfático através de uma rede de minúsculos tubos capilares. O corpo é amplamente suprido por um grupo de tecidos chamados gânglios linfáticos, situados na axila, virilha, pescoço e ao redor dos vasos sanguíneos do tórax e do abdome.

Junto com o sistema circulatório, o linfático transporta oxigênio, nutrientes e hormônios para as células do corpo. Além disso, ele ajuda o sistema imunológico a destruir os patógenos que causam doenças.

Contendo anticorpos, a linfa atua como uma barreira para os micróbios nocivos e outros corpos estranhos. Ela também auxilia na expulsão e destruição de substâncias tóxicas do corpo.

Os canais linfáticos ajudam na coleta do líquido intersticial, rico em proteínas, e em sua devolução à corrente sanguínea.

O sistema linfático contribui para e excreção do excesso de fluidos e resíduos nocivos do corpo. Órgãos com funções imunológicas, como o baço e as amígdalas, fazem parte deste sistema.

Sempre ouvimos falar que o cérebro era o único órgão do corpo que não possuía um sistema linfático. Isso porque se acreditava que quando chegavam ao cérebro, os vasos linfáticos, que percorrem todo o organismo, eram interrompidos.

Uma recente descoberta mudou essa teoria, associando ainda mais as emoções as doenças.

Foi observado um sistema de vasos que liga o sistema nervoso central ao sistema linfático, drenando os fluídos linfáticos do cérebro para os nódulos linfáticos. Estes funcionam como filtro, retirando e destruindo microrganismos que podem estar na linfa.

Esse processo nunca havia sido observado antes. Segundo os pesquisadores, os vasos similares aos vasos linfáticos estavam localizados próximos aos vasos sanguíneos das meninges, membranas que protegem o sistema nervoso central, o que camuflou sua presença.

Tal descoberta abre um novo capítulo na anatomia do cérebro, pois, além de mostrar a existência de vasos linfáticos no órgão, prova que o cérebro está diretamente envolvido com o sistema imunológico.

Devido a essa relação entre os sistemas nervoso e imunológico, acredita-se que a importância da descoberta está nos efeitos que ela poderá ter sobre o tratamento de doenças degenerativas, como o Autismo, a Esclerose Múltipla, o Alzheimer, entre outros.

A bravura provém do sangue, a coragem provém da linfa.

 

João Evangelista Teixeira Lima é clínico geral e gastroenterologista


últimas dessa coluna


“Abracadabra, que a doença seja debelada”

Escutar, examinar, solicitar exames, diagnosticar, explicar e tratar. Eu exerço esses ofícios há 40 anos. Procuro caprichar na informação, pois comunicação não é o que se fala, mas o que o outro …


Nem sempre dominamos o nosso corpo

Quando criança, eu costumava prestar atenção em minha respiração. O resultado era sempre uma sensação de cansaço, causado pelo trabalho dos músculos acostumados a respirar por conta própria. O …


O tempo nem sempre é um aliado

Um indivíduo apaixonado clama pela permanência do tempo. Uma pessoa deprimida suplica pela passagem do tempo. Dentro da medicina, o tempo é usado para curar, como acontece, por exemplo, durante um …


A dor que não pertence ao corpo

“A dor do outro é sempre menor que a nossa”. Nem sempre isso é verdade. Existe dor que não mais nos pertence, mas ainda nos aflige. Ela costuma residir num membro fantasma. Quando removido ou …


Álcool não aduba felicidade

Após atravessar o aparelho digestivo e cair na corrente sanguínea, o álcool atinge o cérebro. Ao transformar o córtex cerebral em salão de festa, ele deixa o bebedor desinibido e falante. Sentindo-se …


Suicídio: coragem ou covardia?

Em algum momento na vida, todos já flertamos com a morte. Se não desejamos nos matar, ao menos cogitamos morrer para escapar do sofrimento, para chamar a atenção ou para entrar na história. O ser …


É preciso atenção com as ínguas

Íngua é o aumento dos gânglios linfáticos, aparecendo como consequência de alguma inflamação na região acometida, podendo ou não vir acompanhada de dor. Quando expostos a bactérias ou vírus, a …


Os efeitos colaterais da paixão

Amo mais que a ti, ao meu amor por ti”, diz o poeta. Não seria esta declaração de amor, na verdade, uma confissão de paixão? Estar apaixonado é adoecer por alguém. Apesar da inebriante sensação …


O ninho da alma

Quando eu era acadêmico de Medicina, durante uma aula de Anatomia, segurando um cérebro na mão, meu professor perguntou se alguém sabia onde ficava a casa da alma. Como ninguém respondeu, ele …


Hérnia hiatal nem sempre é doença

O diafragma é um músculo responsável pela respiração humana. Ele está localizado na transição do tórax com o abdômen, separando essas duas cavidades corporais. Nessa estrutura muscular existe um …