Diversão para nós. Diversão para os pets

O assunto hoje é um tanto quanto inusitado. Quero falar com vocês de uma experiência minha que vale compartilhar. Eu diria que, no mínimo, vale refletir...

Muitos de vocês já devem ter ouvido falar ou até devem frequentar essas áreas reservadas para os cachorros ficarem sem coleira. Refiro-me aos petparks ou pracão... Tem muitos nomes.

Somos todos sociáveis – Mas o que é legal nesses lugares é que eles proporcionam um ambiente comunitário onde os cães e as pessoas possam se reunir e se socializar. Os cães conseguem um espaço amplo para brincar, correr e fazer novas “aumizades”.

Muitos consideram que esses ambientes trazem muitos benefícios para os cães e também para os donos. Como por exemplo, a posse responsável do animal, um lugar seguro para latir e se exercitar.

O que eu achei muito interessante é que o propósito dos parques para cães é que também é um ambiente para os seus donos com deficiência se exercitarem. Oi?

A diversidade animal – Hoje, no universo dos animais existem muitos que possuem as mais variadas deficiências, assim com nós, humanos.

Logo, acessibilidade também é uma questão a ser considerada nesses parques. Não é?

Eu amo animais e não é novidade que eu circule por aí descobrindo esses lugares de pura diversão com os meus bichinhos, e aqui no Estado temos um dos maiores ambientes de socialização canina e humana que é o pet park, localizado no Shopping Vila Velha.

São 800 metros de pura corrida, passando por baixo de obstáculos, pulando, e claro, bebendo muita água. Ah, tem sacolas para eventuais necessidades, afinal, civilidade tem de existir para os cachorros ou os donos, não é mesmo? Sujou. Limpou.

Ops! O playground para cães foi inspirado nos parquinhos para crianças. Em ambos os casos, são construídos pensando exclusivamente no entretenimento e conforto dos cães, crianças e seus donos. Então, por que não tem acessibilidade? Em todos que eu circulo não há acesso para os donos ou pais que usam cadeira de rodas.

Calma lá! Quando digo acessibilidade, não significa que tenha de colocar cimento por todos os cantos, tá? Acessibilidade não é isso. Mas, assim como qualquer projeto, estes também são planejados por profissionais, e eles não podem negligenciar as normas de acessibilidade.

Infelizmente, não foi isso que ocorreu com esses espaços daqui de Vitoria e Vila Velha. Penso que uma das coisas primárias, e um tanto quanto difícil quando se pensa nesses empreendimentos, é a garantia de um local apropriado para os cães, seus donos e a comunidade. E aí entra a questão fundamental: acesso.

No reino animal e no nosso – Finalmente, assim como nós, os animais precisam cada vez mais de espaços onde possam ter liberdade, segurança, lazer e claro, como são seres sociáveis, precisam das regras e normas dos seus donos.

E, como um bom pai ou uma boa mãe, a tarefa de educar não pode ser delegada a outros.

De que adianta o seu cão ficar num espaço onde, por falta de acesso, você não consegue entrar? Concordam? Acessibilidade para nós. Acessibilidade para os pets.


Mariana Reis é consultora em acessibilidade e educadora física


últimas dessa coluna


Tribuna na Estrada

Vem com Kaio - Piscina de bolinhas Shopping Vila Velha

Vem com Kaio - Piscina de bolinhas Shopping Vila Velha