Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Direito à acessibilidade
Tribuna Livre

Direito à acessibilidade

É necessária uma intensa reflexão de todos os setores da sociedade sobre as reais dificuldades da pessoa com deficiência na vida moderna, o que nos remete, imediatamente, ao tema da acessibilidade. São inúmeras as leis e decretos que asseguram este direito às pessoas com deficiência, embora seja um arcabouço jurídico largamente ignorado.

Mesmo as pessoas sem deficiência sofrem, diariamente, com a falta de acessibilidade, embora constitua um direito fundamental. O número de pessoas com algum tipo de deficiência no Brasil corresponde a 23% da população, segundo o último censo do IBGE (2010), sendo que no Espírito Santo o percentual é semelhante.

São cerca de 45 milhões de pessoas com deficiência visual, auditiva, motora ou mental/intelectual, e que não vivem em uma sociedade adaptada. Como viver assim, com tantas barreiras e impedimentos? Podemos citar dificuldades sistemáticas como na formação inicial e continuada, na presença em shows e peças teatrais, nas políticas de atendimento ao público, nos estereótipos das empresas, na ocupação de vagas reservadas, nas campanhas de conscientização e sensibilização, no capacitismo, no acesso e permanência na escola e universidades, entre tantas.

A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), particularmente, busca enfrentar o desafio da inclusão e da acessibilidade, sobretudo com a decisão de implantar a reserva de vagas para pessoas com deficiência, a partir de 2017. Hoje, são 362 estudantes com deficiência na Universidade, sendo 136 com necessidades especiais, além de professores e técnicos. O ingresso deles contribui para um ambiente de humanização, proporcionado pela convivência de pessoas com e sem deficiência. Nesse contexto, a lista de demandas por acessibilidade é considerável: edificações adaptadas (bibliotecas, laboratórios, auditórios, salas de aula, equipamentos culturais), acessibilidade digital, programas didático-pedagógicos, formação continuada de professores e técnicos, sistemas e meios de comunicação, e cultura com política inclusiva.

Ainda no âmbito da Universidade, há ações concretizadas como a construção das primeiras rotas acessíveis, criação do núcleo de acessibilidade, acolhida de calouros, e o núcleo de tradução e interpretação em Libras. Estão em curso processos de compra de equipamentos para acessibilizar 33 laboratórios de informática e as bibliotecas, com destaque para a construção do laboratório de acessibilidade na biblioteca central. Próxima de completar 65 anos, a Ufes consegue que estudantes com deficiência, enfim, rompam os obstáculos para ingressar na Universidade, sendo que uns concluem seus cursos, outros não, como resultado de complexas vivências de sacrifícios e adversidades.

Há, de fato, a sensação de que os estudantes com deficiência são invisíveis, e a realidade mostra que o que sobressalta é a luta permanente pela dignidade humana. É preciso que seja construído um movimento pró-acessibilidade na sociedade. Na Ufes, em especial, esse movimento deve ter amplo alcance, de modo que seja indutor de inovadoras ações no Espírito Santo, para que a acessibilidade se mantenha na agenda principal da sociedade, com produtiva combatividade, permanentes diálogos e sólidas proposições.

Douglas Christian Ferrari de Melo é professor do Centro de Educação e coordenador do Núcleo de Acessibilidade da Ufes
 


últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

Vida nova no Velho Continente

Todos nós conhecemos alguém que já tenha demonstrado interesse em se mudar do Brasil, seja por querer um novo rumo para sua carreira, seja por desejar uma vida melhor para sua família. De acordo com …


Exclusivo
Tribuna Livre

No Meio Ambiente, precisamos derrotar o retrocesso!

Este ano, três deputados noruegueses indicaram a adolescente ecologista sueca Greta Thunberg, de 16 anos, ao Prêmio Nobel da Paz. Ela protesta para que o mundo preste mais atenção e aja contra …


Exclusivo
Tribuna Livre

O que fazer com a ilegalidade que esclarece ou diz esclarecer?

Esta semana, o site The Intercept Brasil publicou três reportagens que miravam diretamente a imagem mítica personificada na mais longa operação já anunciada no Brasil, no que contraria o sentido de …


Exclusivo
Tribuna Livre

O direito à plena infância

Doze de junho, além de Dia dos Namorados, é Dia de Combate ao Trabalho Infantil. Esta data foi instituída pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), em 2002, quando da apresentação do primeiro …


Exclusivo
Tribuna Livre

A Medida Provisória 881/2019 e a Liberdade Econômica

Um dos temas importantes de discussão no Brasil é se estamos caminhando para mais uma década perdida, visto que, no período de 2011 a 2020, o crescimento médio do PIB brasileiro projetado é de apenas …


Exclusivo
Tribuna Livre

O caso Neymar e o tribunal da internet

A história da humanidade é, também, a história da evolução dos meios válidos de se chegar à verdade sobre um fato, para se permitir um julgamento. No passado, já se entendeu como método racional as …


Exclusivo
Tribuna Livre

Universidade pública e indignação com os cortes

O que a universidade pública tem a ver com você, leitor, e com você, leitora? Vamos refletir sobre isso? Por que a educação superior pública é importante na vida de cada um de nós? E por que é …


Exclusivo
Tribuna Livre

Mercado imobiliário, otimismo e entraves

Recente pesquisa realizada pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-ES) mostra a previsão de lançamentos imobiliários, edição 2019, e inclui levantamento sobre os principais …


Exclusivo
Tribuna Livre

A necessidade de repensar a educação no Brasil

Mais da metade dos recursos do Ministério da Educação é aplicada no ensino superior, o que contraria a Constituição Federal, que dá prioridade ao combate ao analfabetismo e ao ensino fundamental. …


Exclusivo
Tribuna Livre

O STF, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e as despesas

A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) impôs limite às despesas com pessoal, cujo descumprimento e a não adoção das medidas corretivas são condutas graves que podem ensejar a aplicação das seguintes …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados