search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Devagar com o andor
Painel da Folha de São Paulo

Devagar com o andor

Apesar da intenção de apresentar a reforma administrativa em fevereiro, a equipe econômica foi advertida de que trechos incomodam algumas categorias de servidores e podem complicar o avanço do tema.

Um exemplo são os advogados da União – a Economia quer proibir que eles assumam casos privados, o que hoje é permitido desde que não envolva o poder público. Servidores das carreiras de Estado terão estágio probatório mais longo. O período, porém, é alvo de discussão.

Tecla SAP
A proposta de emenda constitucional que será encaminhada ao Congresso vai criar um guarda-chuva que definirá o vínculo de trabalho de três tipos de servidores: além das carreiras de Estado, os de contrato por tempo indeterminado e os temporários. Cada um deles terá regras próprias.

Cada um...
Os servidores de primeira linha, os de carreira, serão os únicos que vão atingir estabilidade e serão proibidos de terem filiação político-partidária.

...No seu quadrado
No segundo caso, os funcionários passarão por concurso público e poderão ser demitidos, mas segundo alguns critérios – poderiam ser exonerados por mau desempenho ou crise financeira, por exemplo.

Estou fora
Banco do Brasil e Caixa avaliam retirar as suas seguradoras do consórcio que forma a Líder, empresa responsável pelo seguro obrigatório para carros e motos, o DPVAT, e que está envolvida em supostos desvios, como vêm relatando a Folha.

Calculadora de bolso
O BB analisa o caso e a Caixa já pediu uma avaliação detalhada à sua subsidiária, a Caixa Seguridade, na qual é sócia da CNP, para entender quanto custa deixar a Líder.

Limpeza
O expurgo do DPVAT está sendo comandado pela Superintendência de Seguros Privados, órgão público vinculado ao Ministério da Economia, ao qual também são subordinados os bancos estatais. Segundo a Líder, 17 seguradoras deixaram o consórcio no fim de 2019.

Mão fechada
Apesar de o ministro Sergio Moro (Justiça) propagar que seu ministério quase dobrou a arrecadação do Fundo Nacional Antidrogas de 2018 para 2019, a aplicação do dinheiro não seguiu o mesmo ritmo. Embora a arrecadação tenha atingido R$ 91 milhões, ele gastou menos de 10% do total –
R$ 6,1 milhões.

Teu futuro...
Ainda no almoço ontem, o presidente Jair Bolsonaro avaliou como grave a situação de Fabio Wajngarten, chefe da Secretaria de Comunicação. A Folha revelou que a empresa dele, a FW Comunicação, teria prestado serviços a emissoras de TV e agências de publicidade que são contratadas pela sua pasta para difundir publicidade do governo.

No lápis
No encontro, Bolsonaro teria dito que era preciso aguardar pareceres sobre a atuação do secretário, mas não descartou uma escalada da crise que levasse ao afastamento do auxiliar.

Veredito
Ato contínuo, integrantes do Palácio do Planalto tentaram envolver o TCU (Tribunal de Contas da União) e a CGU (Controladoria Geral da União) para extrair avaliação sobre se há conflito de interesses na atuação de Wajgarten. O TCU se desviou. A CGU deve elaborar documento dizendo que não houve desvio. Depois de uma série de reuniões, à noite, o risco de demissão era considerado nulo por ministros.

Nem queria
Antes de oficializar a escolha de apoiar o Brasil à OCDE, os EUA avisaram a Argentina que deixariam de advogar pelo vizinho. O governo de Alberto Fernández, mais distante de Donald Trump do que o antecessor, Mauricio Macri, não se opôs e teria sinalizado que a adesão já não é mais prioridade. Os argentinos estão concentrados no FMI, onde renegociam dívida de quase US$ 57 bi.

Sonho meu
Jilmar Tatto, Fernando Haddad e o marido de Marta Suplicy, Márcio Toledo, almoçaram nesta ontem e discutiram possível chapa formada por Tatto e Marta, como vice.

Marcha à ré
João Doria decidiu adiar em um ano a vigência da reforma da Previdência de militares estaduais após policiais e sindicalistas aumentarem a pressão, ontem.

Tiroteio

“Como bom gestor, o governador de São Paulo inovou na divisão de tarefas: ele viaja, o povo paga”. De Campos Machado, líder do PTB na Alesp, sobre Doria ter feito viagens particulares e dado caronas em aviões do estado, como mostrou a Folha de S. Paulo.

Publicação simultânea com a Folha de São Paulo

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Pesos e medidas

O advogado de Jair Bolsonaro e Flávio Bolsonaro, Frederick Wassef, defende que a investigação sobre a morte do ex-PM Adriano da Nóbrega seja federalizada e que o Ministério da Justiça seja acionado. …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Sem gás

Apesar do protesto realizado no Porto de Santos e de um início de alvoroço nas redes sociais, autoridades disseram ontem não ter nenhum tipo de informação sobre a organização de uma greve de …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Caneta bic

Um dos trechos do pacote anticrime que Jair Bolsonaro sancionou mesmo após recomendação contrária de Sergio Moro (Justiça) foi citado pela defesa do ex-PM Adriano da Nóbrega para tentar derrubar o …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Campanha aberta

Enquete feita pelo Painel nas últimas duas semanas mostra que um terço do Senado defende abertamente a recondução de Davi Alcolumbre (DEM-AP) à presidência da Casa, apesar de hoje isso não ser …


Painel da Folha de São Paulo

Fala que eu te escuto

A delação de Sérgio Cabral (RJ) homologada pelo ministro Edson Fachin, do STF, deixou de fora casos de suspeitas de crimes cuja apuração seria de competência da primeira instância ou de tribunais …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Festa danada

Além do salário de R$ 30.900, Paulo Guedes (Economia) recebe dos cofres públicos R$ 7.733 por mês de auxílio-moradia, o teto permitido por lei, e passagens para ir de Brasília ao Rio, onde tem …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Vida real

Gigantes da tecnologia, como Google, Facebook e Microsoft, entregaram ontem ao relator Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) documento apoiando a unificação de cinco tributos sobre o consumo, como previsto na …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Campo minado

Na reunião com governadores, ontem, Paulo Guedes (Economia) fez um desabafo: “A toda hora tem uma bomba” no governo. A seu ver, são negociações políticas que não condizem com a situação financeira da …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Público e privado

O governo colocou para 2020 um plano de privatização de creches com a utilização de dinheiro do Fundeb, principal mecanismo de financiamento da educação básica. A ideia partiu do diagnóstico de …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Aviso prévio

A operação contra o ex-capitão Adriano da Nóbrega, ligado ao senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), teve conhecimento prévio do Ministério da Justiça e tentou envolver a Polícia Federal. …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados