Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Desenvolver habilidades para formar um ser humano integral

8º Congresso de Educação

Desenvolver habilidades para formar um ser humano integral


Palestra ministrada pela conferencista, Priscila Boy (Foto: Jefferson Roccio/ Divulgação do Sinepe-ES)
Palestra ministrada pela conferencista, Priscila Boy (Foto: Jefferson Roccio/ Divulgação do Sinepe-ES)
Trabalhar o conteúdo das disciplinas na sala de aula deixou de ser a finalidade última da educação no país hoje. Desenvolver competências e habilidade socioemocionais é um desafio ainda mais importante para educadores e instituições de ensino, de acordo com a palestra ministrada pela conferencista Priscila Boy, durante o 8º Congresso Educacional das Escolas Particulares, promovido pelo Sindicato das Empresas Particulares de Ensino do Estado (SinepeES), ontem e hoje, no Centro de Convenções de Vitória.

Priscila, que ministrou palestra com o tema “A Base Nacional Comum Curricular e seus desafios curriculares e educacionais”, ressaltou as principais competências que a base nacional postula como normativa a ser seguida pelas instituições de ensino.

“A base integra três competências gerais: as pessoais e sociais; as cognitivas e as comunicativas. O documento tem caráter normativo, ele traz diretrizes gerais que devem ser seguidas pelas instituições de ensino na elaboração de seus currículos. O desafio que se coloca é o de elaborar currículos escolares e projetos pedagógicos em consonância com as diretrizes e os princípios éticos e políticos da base”, disse Priscila.

A palestrante ressaltou que, a partir das diretrizes da Base Nacional Comum Curricular, as atividades escolares ganham um novo status, não mais como fim em si mesmo, mas como objeto de aprendizagem e de desenvolvimento de habilidades e competências.

“Ciência sem pensamento crítico se torna instrumento de manipulação. É preciso que o conhecimento seja acompanhado de pensamento crítico, inserido num contexto cultural, trabalhado através da linguagem, da argumentação e integrado às novas tecnologias, para permitir o desenvolvimento de competências como autoconhecimento, responsabilidade, empatia e cooperação”, afirmou a palestrante.

De acordo com as novas diretrizes da educação, educadores e instituições têm como desafio transpor didaticamente o conteúdo curricular de acordo com o contexto e o mundo externo que envolve os estudantes. “É preciso aproximar o conteúdo escolar do universo do estudante. A escola precisa sair do isolamento, ampliar os horizontes dos alunos e dialogar com o mundo”.

Assista no vídeo abaixo a entrevista da repórter, Kelly Kalle com a conferencista, Priscila Boy sobre os desafios da implantação da nova Base Nacional Comum Curricular:


leia mais / 8º congresso de educação


8º Congresso de Educação

Ensino para comércio e serviços

Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados