Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Déficit fiscal traz dor de cabeça para o novo governo
Tribuna Livre

Déficit fiscal traz dor de cabeça para o novo governo

O ano de 2019 inicia cercado de expectativas em relação à gestão do novo presidente da República e sua equipe. O Brasil vive uma situação fiscal dramática e, para este ano, o déficit previsto no Orçamento da União é de aproximadamente R$ 140 bilhões.

O déficit de um país é o reflexo de que ele gasta mais do que arrecada. Para quitar o saldo negativo, o governo precisa tomar uma série de medidas, como cortar despesas, elevar a carga tributária e até emitir títulos públicos, que são comprados por investidores do mercado financeiro – uma espécie de “empréstimo” para o governo, em troca de pagamento de juros. Esses títulos são um dos componentes da dívida pública brasileira.

Quando as despesas do governo superam as suas receitas não sobra dinheiro para fazer investimentos nos diversos setores da economia e cria-se um grande obstáculo para o país alcançar o crescimento econômico com geração de emprego e renda.

Além disso, manter as contas públicas em ordem é um indicador para o mercado de que o governo tem condições de quitar as suas dívidas.

Foi justamente o elevado grau de endividamento público que tirou do Brasil o selo de bom pagador, conhecido como “grau de investimento”, concedido pelas agências de classificação de risco internacionais.

A carga tributária e a dívida pública (bruta) brasileira encontram-se em patamares bastante elevados. Segundo dados do Banco Central do Brasil, no final de 2018 alcançaram 32% e 77% do PIB, respectivamente.

Sinalizando claramente que não seria prudente elevar ainda mais essas duas variáveis, a alternativa da equipe econômica seria executar uma redução significativa nos gastos públicos.
Para isso, a reforma da Previdência é um elemento crucial para alcançar esse objetivo.

Sem a aprovação das reformas estruturantes, como a da Previdência, por exemplo, dificilmente iremos conseguir alcançar o equilíbrio fiscal, manter as taxas de risco e câmbio em patamares razoáveis, e preparar o ambiente para um ciclo de recuperação da economia.

No discurso de posse do ministro da Economia, Paulo Guedes, foram elencados os três pilares na área econômica que o governo irá trabalhar: reforma da Previdência, unificação de impostos e as privatizações.

Foi um passo importante, entretanto, falta avançar ainda mais, apresentando propostas detalhadas de cada um dos pilares, indicando os impactos financeiros e como serão afetados os setores e os agentes econômicos que integram a economia brasileira.

Vale ressaltar que o novo governo deve aproveitar o momento favorável para tentar aprovar as referidas reformas.

Segundo pesquisa da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), 72% dos entrevistados estão otimistas com o cenário econômico de 2019, e 72% acreditam que sua vida financeira será melhor.

Esses indicadores são convergentes com os resultados da pesquisa do Instituto Datafolha, indicando que para 65% dos brasileiros o atual presidente fará um governo ótimo ou bom.

Mesmo assim, não será uma tarefa fácil colocar o País nos trilhos do crescimento econômico e os desafios exigirão muita habilidade e competência do Presidente e de sua equipe. Caso contrário, o cenário econômico irá se deteriorar rapidamente e assistiremos o retorno da incerteza.

Ricardo Paixão é presidente do Conselho Regional de Economia do Espírito Santo (Corecon-ES)


últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

Você pode ser indenizado por ligações excessivas de call center!

Anda recebendo ligações insistentes de alguma empresa ou operadora? Difícil é encontrar quem não passe por essa situação. Uma cena comum do dia a dia: o celular começa a receber insistentes ligações, …


Exclusivo
Tribuna Livre

Vida nova no Velho Continente

Todos nós conhecemos alguém que já tenha demonstrado interesse em se mudar do Brasil, seja por querer um novo rumo para sua carreira, seja por desejar uma vida melhor para sua família. De acordo com …


Exclusivo
Tribuna Livre

No Meio Ambiente, precisamos derrotar o retrocesso!

Este ano, três deputados noruegueses indicaram a adolescente ecologista sueca Greta Thunberg, de 16 anos, ao Prêmio Nobel da Paz. Ela protesta para que o mundo preste mais atenção e aja contra …


Exclusivo
Tribuna Livre

O que fazer com a ilegalidade que esclarece ou diz esclarecer?

Esta semana, o site The Intercept Brasil publicou três reportagens que miravam diretamente a imagem mítica personificada na mais longa operação já anunciada no Brasil, no que contraria o sentido de …


Exclusivo
Tribuna Livre

O direito à plena infância

Doze de junho, além de Dia dos Namorados, é Dia de Combate ao Trabalho Infantil. Esta data foi instituída pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), em 2002, quando da apresentação do primeiro …


Exclusivo
Tribuna Livre

A Medida Provisória 881/2019 e a Liberdade Econômica

Um dos temas importantes de discussão no Brasil é se estamos caminhando para mais uma década perdida, visto que, no período de 2011 a 2020, o crescimento médio do PIB brasileiro projetado é de apenas …


Exclusivo
Tribuna Livre

O caso Neymar e o tribunal da internet

A história da humanidade é, também, a história da evolução dos meios válidos de se chegar à verdade sobre um fato, para se permitir um julgamento. No passado, já se entendeu como método racional as …


Exclusivo
Tribuna Livre

Universidade pública e indignação com os cortes

O que a universidade pública tem a ver com você, leitor, e com você, leitora? Vamos refletir sobre isso? Por que a educação superior pública é importante na vida de cada um de nós? E por que é …


Exclusivo
Tribuna Livre

Mercado imobiliário, otimismo e entraves

Recente pesquisa realizada pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-ES) mostra a previsão de lançamentos imobiliários, edição 2019, e inclui levantamento sobre os principais …


Exclusivo
Tribuna Livre

A necessidade de repensar a educação no Brasil

Mais da metade dos recursos do Ministério da Educação é aplicada no ensino superior, o que contraria a Constituição Federal, que dá prioridade ao combate ao analfabetismo e ao ensino fundamental. …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados