search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

De alma lavada
Painel da Folha de São Paulo

De alma lavada

Ao concluir missão que tomou como pessoal, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), enviou recados explícitos ao Planalto. No discurso que selou a aprovação em primeiro turno da reforma da Previdência, enalteceu o Parlamento, os partidos, seus líderes, a oposição e o STF.

Tudo o que o bolsonarismo abomina. Nenhum aliado dele crê que o governo vá dividir os louros da vitória. Por isso, a fala foi vista como o anúncio de que a Casa, agora, tem uma agenda para chamar de sua.

*

Vou que vou - As linhas gerais dos próximos passos do Congresso foram delineadas também no discurso de Maia: reforma tributária e administrativa. Na véspera da votação, ele disse a um aliado que estava determinado a tocar a agenda de reformas, independentemente da relação com o presidente Jair Bolsonaro.

Sem tempo, irmão - Os detalhes desse macroprojeto do Congresso serão alinhavados durante o recesso. Maia e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), vão dedicar boa parte do período a isso.

Homem de ferro - Paulo Guedes (Economia) estava em uma reunião quando o resultado da votação na Câmara foi anunciado. Interromperam a conversa para avisá-lo. O ministro percorreu corredores parabenizando técnicos que trabalharam na proposta e estavam aos prantos, emocionados. Ele mesmo não chorou.

Foi-se - No início do ano, Maia e Guedes estavam em sintonia. Nesta quarta (10), no discurso que fez antes de anunciar a aprovação da reforma, o presidente da Câmara mencionou diversos integrantes do governo e do Congresso, mas não citou o nome de Guedes.

Desafinados - Assim que Maia concluiu o discurso enaltecendo a prioridade das reformas, integrantes do governo que atuam no Planalto e estavam no Congresso afirmavam que o projeto que está na ponta de lança do governo é o pacote anticrime do ministro Sergio Moro (Justiça).

Fins e meios - Autor da proposta de reforma tributária, cuja comissão foi instalada nesta quarta (10), o deputado Baleia Rossi (MDB-SP) afirma que a previsão é a de que São Paulo perca arrecadação no início da mudança. E que isso é bom.

Fins e meios 2 - Segundo ele, ajuda a vender a reforma a estados que criticam a medida. A reorganização tributária fará com que todos ganhem no fim, aposta ele.

Que comecem os jogos - O ingresso público do prefeito de SP, Bruno Covas, no grupo de tucanos que cobra o afastamento do deputado Aécio Neves (MG) do PSDB mudou o patamar da pressão exercida sobre o mineiro. O governador paulista, João Doria (PSDB), hoje o grande cacique do partido, lavou as mãos e avisou que vai deixar o barco correr.

Com impressão digital - O secretário-executivo da Prefeitura de São Paulo, Gustavo Pires, foi o responsável por incluir na pauta de reunião do PSDB paulistano o pedido de expulsão de Aécio, na quinta passada (4). Pires é amigo e braço direito de Covas.

Prepara - Aécio recebeu apoio de dirigentes de outras legendas de centro e centro-direita. Os que estiveram com ele descreveram a ação da ala paulista do PSDB como desastrada. Quem conversou com Doria e com o deputado de Minas vaticina: "Essa história não vai acabar bem. Doria não vai recuar, e Aécio não é qualquer um".

Vai ser no braço - O deputado de Minas, que já foi presidente do PSDB e candidato da sigla à Presidência, tem dito a aliados que, da forma como as coisas estão sendo conduzidas, não lhe resta opção a não ser resistir. Sair correndo, ele disse, segundo relatos, não é opção. "Se quiserem tirar, tirem", resumiu um interlocutor.

Vai tu mesmo - Integrantes do Ministério Público Federal dizem que procurador Augusto Aras, que trabalha para ser o sucessor de Raquel Dodge no comando da PGR, ganhou o apoio nos bastidores de candidatos que ficaram de fora da lista tríplice votada pela categoria e são próximos ao ministro Sergio Moro.

Azarão - Aras não se inscreveu na disputa interna. Assim como Dodge, que tenta a recondução, ele tem buscado apoio em diversos setores do poder, como entre os militares, para ser nomeado por fora pelo presidente.

*

TIROTEIO

Todos que tiverem problema por suposta corrupção têm que pedir para sair. O PSDB não é mais o mesmo

Do deputado estadual Carlão Pignatari (PSDB-SP), líder do governo João Doria (PSDB), sobre a pressão para que Aécio Neves se desfilie

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Clássico

Depois de protestos terminarem em confronto no fim de semana, o secretário-executivo da Polícia Militar de São Paulo, coronel Álvaro Camilo, quer usar a mesma metodologia de organização dos jogos de …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Tabuleiro

Apesar da disposição demonstrada pelo STF de tentar impor limites a Jair Bolsonaro, integrantes da classe política e do Judiciário avaliam que as principais investigações em andamento ainda dependem …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Mesmo lado

Líderes e presidentes de partidos da centro-direita dizem, nos bastidores, ser um excesso o pedido de apreensão do celular de Jair Bolsonaro no inquérito que apura as denúncias de Sergio Moro. …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Sinais

A suspeita de vazamentos de inquéritos sigilosos da Polícia Federal para o entorno do Presidente não se restringe ao caso de Flávio Bolsonaro. Relatório da investigação de candidaturas de laranjas em …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Corrente

A disseminação reiterada de informações falsas, muitas delas com ataques a autoridades, e as ameaças do presidente da República de desdenhar de ordens judiciais fizeram ministros do Supremo se unir …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Trajetória

Alvo da Polícia Federal, a primeira-dama do Rio, Helena Witzel, tem parca experiência como advogada. Um contrato de R$ 540 mil do escritório dela com uma empresa investigada na Lava a Jato do Rio é …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Sinuca

Pivô da crise entre Sergio Moro e Jair Bolsonaro, a Polícia Federal se encontra em uma situação delicada. Com a responsabilidade de apurar as acusações do ex-ministro da Justiça, a PF se vê em risco …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Dupla dinâmica

Os ataques de Jair Bolsonaro ao STF têm na mira principalmente dois ministros, Alexandre de Moraes e Celso de Mello, que o Presidente elegeu como inimigos próprios. Ontem, Bolsonaro compartilhou um …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Em série

Além de mostrar a tentativa de interferência indevida na Polícia Federal para proteger amigos e família, a reunião ministerial revelou ação semelhante de Jair Bolsonaro no Iphan, responsável por …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Inteligência

A declaração de Jair Bolsonaro, dada na sexta (22) à rádio Jovem Pan, para tentar justificar o que seria seu sistema particular de informações foi considerada um tiro no pé por advogados criminalista…


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados