Cultura viva na Ufes

 (Foto: Tribuna Livre)
(Foto: Tribuna Livre)
Fundada em 1954, a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) é um símbolo da resistência democrática e da efervescência cultural no Estado.

Nos últimos anos, a Ufes se consolidou como vetor fundamental que impulsiona as artes e a cultura no contexto regional, tornando-se referência para os capixabas.

Como instituição pública superior de ensino, pesquisa e extensão a Universidade busca, também, cumprir o seu papel de protagonista cultural, abrindo as suas portas para as produções locais e atuando como importante indutora regional da criação artística.

Mesmo em tempos sombrios para a cultura nacional – o fim do Ministério da Cultura (MinC) é uma demonstração – a Universidade se lança em novas e criativas estratégias, buscando sua plena interação com agentes culturais e a sociedade.

Mesmo no cenário de incertezas políticas e econômicas, a Secretaria de Cultura da Ufes desenvolve incontáveis projetos por meio de seus equipamentos culturais: galeria de arte, teatro e cinema. Com a chancela da administração universitária, desenvolve permanente processo de qualificação de sua equipe técnica, que oferece sustentação necessária às diferentes ações. Assim, a sua estrutura organizada permite a forte inserção da Universidade na cena cultural capixaba.

O Teatro da Ufes é, hoje, um dos mais modernos do país, equipado para receber grandes montagens com qualidade e conforto indispensáveis às principais casas de espetáculos. Sua agenda para todo o ano de 2019 contempla ampla programação de apresentações da Orquestra sinfônica do Espírito Santo. Para estímulo ao desenvolvimento da cultura, a Ufes mantém isenção de taxas para as produções capixabas, o que torna o seu teatro uma das principais referências para quem produz arte no Espírito Santo. A Galeria de Arte Espaço Universitário, que completa quatro décadas de trajetória recebe, permanentemente, um público variado de diferentes faixas etárias, e consolida um ambiente de projeção da produção artística – notadamente a local – e de popularização das artes plásticas, com ações educativas para a formação de novos públicos.

Com sua agenda aberta a todas as formas de expressão e técnicas, a galeria também preserva o acervo da universidade com cerca de 2,5 mil obras de arte, que começa a ser disponibilizado para acesso da sociedade, possibilitando valiosa oportunidade para pesquisadores. Para o desenvolvimento de pesquisas, está em curso o projeto de instalação de plataformas digitais com os conteúdos do acervo, que estará disponível a partir de 2019. Com planejamento, a Ufes mantém como eixo central de sua política cultural o foco na produção regional e nos artistas locais.

Por meio do Circuito Multicultural, a Universidade opera em suas unidades acadêmicas no interior – Alegre e São Mateus – promovendo ações de arte e cultura a partir da produção das regiões sul e norte do Estado, com eventos de música e folclore, como o congo, jongo, ticumbi e outras manifestações da cultura popular. Resgatado, mesmo com a crise que atinge os cinemas universitários do país, o Cine Metrópolis, no campus de Goiabeiras, recebeu intervenções recentes de modernização física e operacional, mantendo a sala aberta para a exibição de filmes que não entram no circuito comercial, para lançamentos de produções cinematográficas, além de se consolidar como ambiente de fomento à produção audiovisual capixaba. Assim, com sua ousada política cultural, a Ufes mantém elevada a sua produção, e compartilha abrangentes projetos com a sociedade capixaba.

Rogério Borges é secretário de Cultura da Ufes
 


últimas dessa coluna


Quem cuida do cuidador?

Vemos, na prática clínica atual, um aumento sustentado na incidência de doenças crônicas incapacitantes que, majoritariamente, são agravadas pelos processos disfuncionais envolvidos no envelhecimento …


Reforma da Previdência é um debate atrasado

Para trazer ao debate questões de ordem demográfica e social, verificamos que nos anos 60, a razão de trabalhadores da ativa versus aposentados era 12 para 1. Em 2000, esta proporção caiu para …


O sentido da vida

Passadas as férias, findo o Carnaval, a agenda do ano novo entra de vez no cotidiano de 2019. Assim, temos como que um replay da questão que sempre marca as viradas: o que faremos do ano que se …


Multipropriedade imobiliária: inovação no registro de imóveis

Tudo o que é novidade gera dúvidas: as maiores inovações vêm carregadas delas. As pessoas questionam, ficam curiosas, pesquisam, se informam e no final colocam tudo na balança para pesar o que vale …


Tragédia em Suzano: fuja do discurso raso!

Diante da recente tragédia ocorrida em uma escola de Suzano (SP), que ceifou vidas e marcou indelevelmente famílias e amigos, a sociedade volta a se perguntar o que pode levar uma pessoa a cometer …


Doutrinação nas escolas vai além de um cabo de guerra político

O período da história do Brasil, que se estendeu da proclamação da República em 15 de novembro de 1889 até o golpe de 1930, liderado por Getúlio Vargas, faz de suas ações um eixo explicativo para …


O homem criminoso e as agressões contra mulheres

A visão da sociedade ainda é muito ingrata com as mulheres, séculos de discriminação e desrespeito não são facilmente apagadas do nosso cotidiano, mas o empoderamento feminino, que é a luta pelo …


Tecnologia ajuda a transformar os motoristas e o trânsito

Mapas atualizados em tempo real, aluguel de bikes, motoristas de aplicativo e até cursos exigidos pelos Departamentos Estaduais de Trânsito, como o de reciclagem para recuperação de Carteira Nacional …


Como se livrar das dívidas? Não é tarefa fácil, mas há luz no túnel

Estamos em março e as famílias sentem no bolso o peso das contas, como material escolar, rematrícula, IPVA, IPTU, Imposto de Renda e por aí vai. Quem dirá, para quem já carrega os débitos antigos. …


Mulher, a equilibrista

Era ainda menina e sonhava em construir a minha família. Igualmente me motivava construir uma carreira em que eu pudesse fazer a diferença na vida das pessoas. Meu avô me ensinou ainda criança que …