Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Cuidar da mente é tabu a ser derrubado

Especial Saúde

Cuidar da mente é tabu a ser derrubado


Sala da Tear Saúde: clínica multidisciplinar conta com psicólogos, psiquiatra, neurologista e nutricionista. (Foto: Tear Saúde)
Sala da Tear Saúde: clínica multidisciplinar conta com psicólogos, psiquiatra, neurologista e nutricionista. (Foto: Tear Saúde)

Mente sã num corpo são. A expressão, derivada do latim, demonstra a importância de cuidar não só da saúde física, mas também da mental, como forma de ter qualidade de vida.

É o que destacam os especialistas da Clínica Multidisciplinar Tear Saúde. Os profissionais afirmam que a saúde emocional não é mais vista como a simples ausência de doença, como por muito tempo foi.

Para eles, porém, ainda é preciso desconstruir, entre a população, o tabu de que cuidar da saúde emocional é menos importante do que cuidar da saúde física.

A psicóloga Eliana Vilela admite que ainda é comum a visão popular de que ir ao psicólogo, psiquiatra ou a outros profissionais da saúde mental é “coisa para louco”.

“Essa percepção errada é muito difundida, chegando até mesmo a ser prejudicial, já que muitas pessoas evitam buscar ajuda quando precisam de algum serviço voltado para cuidar da mente”, afirmou Eliana.

De acordo com a psicóloga Tereza Trancoso, que também faz parte da clínica, esses profissionais voltam a atenção para os estados de sofrimentos do indivíduo, não sendo precisamente necessário ter um transtorno para buscar esse tipo de ajuda.

A nova concepção é de que a saúde mental e a física são inseparáveis, de modo que uma influencia a outra. Assim, a saúde emocional deve se tornar tão importante quanto à do corpo.

“Prova disso, é que os estados afetivos angustiados e deprimidos podem causar mudanças no funcionamento endócrino e imunitário e criar suscetibilidades a doenças físicas”, destacou a psicóloga Amanda Trancoso.

A equipe aposta em uma saúde do futuro, na qual as pessoas reconheçam ainda mais a importância de cuidar de seus sentimentos.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados