Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Cuidado ou frescura?
AT em Família

Cuidado ou frescura?

Por Luciana Pimentel

Quando o bebê nasce, principalmente o primogênito, um turbilhão de dúvidas invade a cabeça dos pais. Afinal, é possível equilibrar os cuidados para que eles não virem um exagero?

A psicóloga Karla Cardozo explicou que proteger os filhos é obrigação dos pais e algo muito normal, mas ponderou que existe uma diferença grande em cuidar do bebê e superproteger.

“É importante que a criança explore o mundo ao seu redor. Claro que isso a partir de um responsável por perto, porém sem exageros para que isso não afete o desenvolvimento saudável da criança”.

Especialista pela Sociedade Brasileira de Pediatria e um dos idealizadores do Instituto NeuroSaber, o médico Clay Brites explicou que alguns cuidados devem ser tomados para evitar que o bebê adoeça.

“É interessante evitar visitas até o bebê completar três meses de vida, evitar beijar a mãozinha dele e também encostar no bebê após brincar com animais de estimação sem lavar as mãos”, salientou.

Quanto aos passeios, o pediatra recomenda que aconteçam apenas após o bebê ter recebido as primeiras vacinas, pois assim os riscos de adquirir infecções sazonais são reduzidos.

Pediatra do Instituto Hope, Thomas Alfonsin destacou que o uso de luvas no bebê para evitar a contaminação é um dos principais exageros, já que o bebê conhece o mundo através do tato. “O correto é cortar as unhas para ele não se arranhar e permitir que fique com as mãos livres”.

Outros exageros citados pelo pediatra são acreditar que o bebê precisa ser hiperaquecido, dar fórmula para o bebê dormir melhor e usar linha vermelha na testa do bebê para conter o soluço.

 (Arine com os filhos Fernando, de 10 anos, e Miguel, de 4 meses: “Quando o Fernando nasceu, fiquei com fama de enjoada. Mas com o Miguel, foi tudo diferente” - Foto: Kadidja Fernandes/AT)
(Arine com os filhos Fernando, de 10 anos, e Miguel, de 4 meses: “Quando o Fernando nasceu, fiquei com fama de enjoada. Mas com o Miguel, foi tudo diferente” - Foto: Kadidja Fernandes/AT)

Advogada e criadora de conteúdo, Arine Mello Duarte Kroebel, 29, contou que ficou até com fama de enjoada quando deu à luz Fernando, seu primeiro filho, hoje com 10 anos.

“No início, tudo é assustador! Pedia para não pegarem na mão dele, nada de beijos no rosto e não deixava ele engatinhar no chão sem proteção. Do Fernando para o Miguel, de 4 meses, mudou tudo, porque a experiência da primeira maternidade me deixou mais tranquila. As crianças são muito diferentes e sempre há algo novo para decifrar”, afirmou.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados