search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Criminosos mostram poder nas redes sociais e intimidam moradores

Notícias

Polícia

Criminosos mostram poder nas redes sociais e intimidam moradores


A cultura de exibição de armas e drogas, bem como a exaltação de atos criminosos, está tomando conta da internet. É que bandidos da Grande Vitória estão utilizando as redes sociais para mostrar poder a gangues rivais, ostentando armamentos pesados e causando pânico em moradores.

“No meu bairro, é comum esses meninos postarem armas nas redes sociais. Por mais que a gente saiba quem são alguns, o medo de sair na rua, por exemplo, e de ser morto durante uma troca de tiros é grande. Eles têm armas que nem a polícia tem”, disse um morador de 38 anos do bairro Santa Rosa, em Cariacica.

Com medo de represálias, ele pediu para não ter a identidade revelada.

Jovens postam fotos onde aparecem fumando maconha e portando armas, que variam de pistolas a fuzis. (Foto: Reprodução)
Jovens postam fotos onde aparecem fumando maconha e portando armas, que variam de pistolas a fuzis. (Foto: Reprodução)

A Tribuna fez um levantamento de perfis de jovens da Grande Vitória, com idades entre 13 e 25 anos, e observou postagens de fotos e vídeos, onde eles aparecem fumando maconha e portando armas de cano curto e longo, que variam de pistolas a fuzis.

Na descrição sobre a pessoa, em boa parte dos perfis, havia a informação de qual facção aquele jovem pertencia, o que na linguagem dos criminosos, é chamada de “tropa” e “cria”.
Em outros perfis, esses jovens colocam de forma clara a ocupação, por exemplo: “filho do dono”, que segundo a polícia, significa ser “herdeiro” do tráfico de determinada região, além de artigos do código penal brasileiro, como 157, que indica o crime de roubo.

O delegado titular do Departamento Especializado em Narcóticos (Denarc), Fabrício Dutra, informou que a polícia já atua com um trabalho de investigação para identificar cada suspeito de publicar os vídeos. Ele explica que a maioria dos jovens fazem isso para impor medo nos bandidos rivais.

“São muitos jovens de 15 a 23 anos de idade que gostam de se expor, de ostentar arma para falar para os inimigos que têm poder. O problema é que a população, quando tem acesso a essas publicações, se sente amedrontada. Mas já trabalhamos para identificar todos esses criminosos”, disse.

Para o comandante do 1ª Batalhão da Polícia Militar, Tenente Coronel Marcio Franco Borges, muitos criminosos agem dessa forma por serem ousados e por saberem que esse tipo de atitude acaba atraindo mulheres.

“Vemos muitas mulheres jovens no meio deles, quando estão com armas. Essa atitude é uma característica de audácia, de querer mostrar essa ostentação e o poder que eles têm para os rivais”, disse.

Bairros onde criminosos ostentam na Grande Vitória

Vitória

Bairro da Penha
Bonfim
Itararé
São Benedito
Gurigica
Consolação
Andorinhas
Bela Vista (Morro)
Alagoano (Morro)
São Pedro
Santo Antônio (Morro do Cabral)
Santa Tereza (Morro do Quadro)
Forte São João
Tabuazeiro
Conquista
Caratoíra
Fonte Grande
Ilha do Príncipe
Morro da Garrafa

Vila Velha

Terra Vermelha
Ulisses Guimarães
Riviera da Barra
João Goulart
Jabaeté
Barramares
Morada da Barra
23 de Maio
Guaranhuns
Boa Vista I
Boa Vista II
Vila Batista
Cobi de Baixo
Cobi de Cima
Primeiro de Maio
Alecrim (Morro da Grota)
Ataíde(Cidade de Deus)
Santa Rita
Jardim Marilândia
São Torquato
Sagrada Família
Argolas
Aribiri
Rio Marinho
Zumbi dos Palmares
Vila Garrido
Dom João Batista
Araçás
Soteco
Vale Encantado
Divino Espírito Santo
Ilha dos Aires
Ibes (ruas estreitas conhecidas como favelinha)

Cariacica

Nova Rosa da Penha I
Nova Rosa da Penha II
Flexal I
Flexal II
Santa Rosa
Graúna
Retiro
Saudoso
Bela Vista
Santa Bárbara
Nova Brasília
Jardim Botânico
Santa Cecília
Valparaíso
Padre Gabriel
Nova Canaã
Rio Marinho
Dom Bosco
Mucuri
Vale dos Reis
Aparecida
Oriente
Santana
Porto Novo
Bandeirantes
Alto Laje
Independência
Piranema
Jardim de Alá
Mata da Pra

Serra

Feu Rosa
Central Carapina
Bairro das Laranjeiras (Jacaraípe)
Vila Nova de Colares
Jardim Carapina
Boa Vista I
José de Anchieta
Planalto Serrano
Novo Horizonte
São Domingos
Serra Dourada I
Nova Carapina
Nova Almeida
Jardim Limoeiro
Serra Dourada I e II
São Marcos
Santo Antônio
Cascata
Jardim Tropical

Guarapari

Adalberto Simão Nader
Village do Sol
Muquiçaba
Bela Vista
Portal Clube
São Gabriel
Kubitschek
Praia do Morro
Meaípe
Centro
Nova Guarapari

Fonte: Polícia Civil e Polícia Militar.

Terrorismo acaba quando a polícia chega, diz delegado

O poder imposto pelos bandidos que ostentam armas nas redes sociais e acabam intimidando a população termina quando a polícia chega. A afirmação é do titular do Departamento Especializado em Narcóticos (Denarc), Fabrício Dutra.
“Esse terrorismo virtual acaba na hora que a polícia chega. No momento em que são presos, esses bandidos ficam caladinhos. Nem parecem os bravos que ostentam armas nas redes sociais”, disse.
O delegado enxerga a atitude dos criminosos de impor poder como um “falso mando”.

Ele explica que a maioria desses criminosos são jovens inconsequentes e que não existe um lugar onde a polícia não consiga entrar.

“Esse tipo de situação não constrói nada. Primeiro que, uma vez que a população vê aquelas imagens, imediatamente liga para a gente. Tomara que eles continuem fazendo isso, porque para nós isso é ótimo”, disse.

Para o Sargento José Antônio Soares, da 6ª Cia da Polícia Militar, traficantes agem dessa forma por saberem que não serão pegos rapidamente pela polícia.

“É mais fácil você se utilizar de uma rede social estando escondido do que se colocar à mostra. Sabem que uma hora ou outra vão ser presos. Mas, até lá, eles conseguem um êxodo de ameaças muito grande”, disse.

O sargento informou que as denúncias chegam à PM através de moradores durante patrulhamento de rotina ou nas delegacias.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados