Eleições 2018

Cresce número de eleitores que acham propaganda importante para definir voto


A eleição de 2018 aponta um crescimento na importância dada pela população ao horário eleitoral para a definição do voto, segundo o Datafolha.

A pesquisa feita no dia 10 de setembro mostra que 36% dos eleitores afirmam ser muito importante a propaganda obrigatória na TV para a escolha do candidato. Outros 35% dizem que ela é um pouco importante. Menos de um terço da população, 28%, diz que o horário eleitoral não é relevante para a definição do voto.

O total de pessoas que dizem não ser importante caiu na comparação com as últimas eleições presidenciais. Em 2014, 36% viam o horário eleitoral como nada importante. O índice deste ano está no mesmo patamar do registrado em 2006 (29%), e abaixo de 1998 (41%). Não há comparação com 2010, ano em que não foi feita a pesquisa com esse questionamento.

Segundo a pesquisa, 64% dos eleitores dizem ter visto o horário eleitoral, que vai ao ar diariamente, das 13h às 13h25 e das 20h30 às 20h55, desde o dia 31 de agosto. Os blocos com os programas para presidente são exibidos sábado, terça e quinta.

Além do horário eleitoral, os candidatos têm direito a inserções, de 30 segundos cada, durante a programação de televisão. De acordo com a pesquisa Datafolha, 58% diz eleitores dizem ter visto essas propagandas.

A divisão do tempo na televisão e no rádio é definida de acordo com a representação parlamentar dos partidos. A coligação que apoia Geraldo Alckmin é quem tem o maior espaço no bloco do horário eleitoral. Acumula 44% de todo o espaço da propaganda. São 5 minutos de 32 segundos por bloco.

A candidatura do PT e a do PMDB vêm em seguida, com 19% e 15% do tempo respectivamente.
Apesar de considerar importante para a definição do voto, quase metade da população, 49%, diz também não ter interesse no horário eleitoral. Segundo a pesquisa, 18 % dos eleitores dizem ter muito interesse e 32 afirmam ter um pouco de interesse.

A pesquisa do Datafolha é um levantamento por amostragem estratificada por sexo e idade com sorteio aleatório dos entrevistados. O universo da pesquisa é composto pelos eleitores com 16 anos ou mais do país. Nesse levantamento no dia 10 de setembro de 2018, foram realizadas 2.804 entrevistas presenciais em 197 municípios. A margem de erro máxima é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança de 95%. Isto significa que, considerando a margem de erro, a chance do resultado retratar a realidade é de 95%.