X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Justiça Federal derruba lei que obriga empresas a doar vacinas ao SUS

| 25/03/2021 19:50 h | Atualizado em 25/03/2021, 20:29

Imagem ilustrativa da imagem Justiça Federal derruba lei que obriga empresas a doar vacinas ao SUS

A Justiça Federal em Brasília declarou inconstitucional a lei aprovada pelo Congresso que obriga a doação ao SUS (Sistema Único de Saúde) das vacinas contra a Covid-19 adquiridas por empresas e entidades privadas enquanto todos os grupos considerados prioritários não forem vacinados no país.

Trata-se de uma decisão liminar e, por isso, vale imediatamente, independentemente de publicação em Diário de Justiça. Também por conta de seu caráter provisório, cabe recurso da AGU (Advocacia-Geral da União) à decisão, o que ainda não foi feito.

O despacho assinado pelo magistrado Rolando Spanholo, juiz substituto da 21ª Vara Federal de Brasília, atende à argumentação do SINDPESP (Sindicato dos Delegados de Polícia de São Paulo) de que a vedação violava o direito fundamental à saúde ao atrasar a imunização. Segundo a assessoria da Justiça Federal, o único beneficiado é, ao menos por ora, o sindicato autor da ação.

"Em tese, porém, a decisão cria precedente e pode beneficiar outras pessoas, entidades e empresas que vierem a procurar Justiça", afirma.

A decisão acontece um dia depois de a revista piauí revelar que um grupo de empresários de Belo Horizonte importou vacinas da Pfizer contra a Covid-19 para imunizar políticos, empresários e os seus familiares.

No despacho, o juiz do DF argumenta que a obrigação de doação integral desestimula que a sociedade civil, empresários e instituições participem da compra e da vacinação contra o coronavírus, o que, em seu entendimento, atrasa ainda mais a imunização no país.

Procurada pela reportagem, a AGU disse que não comentaria o assunto no presente momento.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS