search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Coringa violento e provocador

Entretenimento

Para Assistir

Coringa violento e provocador


Sinistro, irônico, insano, brutal e até engraçado. O Palhaço do Crime tem muitas, muitas faces, e cada uma delas já foi explorada em batalhas épicas contra seu arqui-inimigo, o Homem-Morcego, nos cinemas.

Mas esqueça Batman! Ou mesmo as cenas de ação. “Coringa”, que chega aos cinemas na quarta (2), é o primeiro filme dramático sobre o supervilão, criado há 79 anos pela DC Comics.

O filme de Todd Phillips, vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza, mostra a origem do Flagelo de Gotham. O que o fez ser quem ele é? No papel principal, Joaquin Phoenix, já cotado ao Oscar 2020 de Melhor Ator.

Joaquin Phoenix como Coringa (Foto: Reprodução/ YouTube Warner Bros. Pictures Brasil)
Joaquin Phoenix como Coringa (Foto: Reprodução/ YouTube Warner Bros. Pictures Brasil)

Ele é Arthur Fleck, um homem profundamente perturbado, com histórico de abusos físicos e psicológicos, que trabalha como palhaço durante o dia e tenta a sorte como comediante de stand-up à noite.

Perguntado se o longa não “passa pano” para um sujeito extremamente violento, Phoenix negou. “Há momentos em que se pode simpatizar com ele, ou pelo menos ter alguma empatia. Mas não se engane: ele é um vilão. Eu o interpretei como um vilão”, disse.

CURIOSIDADES

Polêmicas

“Coringa” tem sido alvo de polêmicas. O filme está sendo acusado por muitos de problemático e perigoso por mostrar empatia pelo supervilão. Familiares das vítimas do tiroteio de Aurora em 2012, na sessão de “Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge”, enviaram carta à Warner expressando suas preocupações. O estúdio afirmou que “Coringa” não tem intenção de endossar a violência na vida real.

Mensagem

O diretor Todd Phillips foi o primeiro a falar sobre as críticas ao conteúdo violento do filme. “Eu realmente acho que existem diversos pensamentos que foram escritos por pessoas que não viram o filme e nem precisam ver. O filme aborda temas como a falta de amor, traumas de infância, falta de compaixão no mundo. Eu acho que as pessoas podem lidar com esse tipo de mensagem”, argumentou.

Certo e errado

O astro Joaquin Phoenix, que vive o Palhaço do Crime, também falou sobre a polêmica. “Acho que a maioria de nós consegue dizer a diferença entre certo e errado. Aqueles que não conseguem são capazes de interpretar qualquer coisa do jeito que eles quiserem. As pessoas interpretam mal letras de músicas, passagens de livros. Não acho que seja responsabilidade do cineasta ensinar moralidade à audiência ou a diferença entre o certo e errado. Quer dizer, para mim, isso é muito óbvio”.

Em seguida, o ator comentou se o filme não poderia ser um gatilho para pessoas violentas. “Acho que, se uma pessoa tem esse nível de distúrbio emocional, qualquer coisa pode servir como gatilho”, ponderou.

Inspiração

Todd Phillips disse que seu filme é um estudo de personagem, inspirado em produções da década de 1970, como “Taxi Driver”, “Touro Indomável” e “O Rei da Comédia”, todos estrelados por Robert De Niro, que está em “Coringa”. De Niro vive um apresentador de televisão que detona Arthur Fleck ao vivo.

Risada

Um dos traços mais marcantes do Coringa, a risada, foi justamente o que tirou o sono de Joaquin Phoenix. “Eu assisti a vídeos de pessoas que sofrem de uma risada patológica, um transtorno neurológico que faz com que riam incontrolavelmente”, explicou.

Perda de peso

Acostumados a viver homens atormentados, como o Joe de “Você Nunca Esteve Realmente Aqui”, Joaquin Phoenix disse que quase enlouqueceu desta vez. “A primeira coisa foi a perda de peso, foi com isso que eu comecei. Acontece que isso afeta seu psicológico, pois você realmente começa a enlouquecer quando perde muito peso em tão pouco tempo”, comentou ele, que emagreceu 23 kg para viver o Coringa.

Críticas

O jornal britânico The Guardian classificou “Coringa” como “gloriosamente ousado”. A revista Total Film, como “desafiador e subversivo”. A interpretação de Phoenix foi descrita como “imponente” e “incrível” por críticos. O ator de 44 anos já recebeu três indicações ao Oscar (“Gladiador”, “Johnny & June” e “O Mestre”), mas ainda não ganhou o prêmio.

Perigoso

Joaquin Phoenix disse que considera o Coringa um homem perigoso. “O Coringa é a própria definição do narcisismo, que é a expectativa de que seus sentimentos devem ser validados pelos outros e que todos precisam prestar atenção, porque ele é a pessoa mais importante do mundo. Ele só quer adoração. O narcisismo é muito perigoso”, justificou.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados