Esportes

Copa Verde: Atlético/ES protagoniza noite histórica para o futebol capixaba

Os primeiros 90 minutos da final histórica entre Atlético/ES e Paysandu acontecem nesta quarta-feira (25). Às 21h30, no estádio Kleber Andrade, em Cariacica, os dois times fazem a primeira partida das finais da Copa Verde, competição que reúne equipes das regiões Norte, Centro-Oeste e Sudeste do País e dá vaga, ao campeão, às oitavas de final da Copa do Brasil do ano que vem.

Time conquistou feito inédito ao chegar à decisão da Copa Verde. Divulgação / Atlético/ES
Time conquistou feito inédito ao chegar à decisão da Copa Verde. Divulgação / Atlético/ES

O adversário paraense é o terceiro colocado da Segundona do Brasileiro e atual vice-campeão da Copa Verde, competição que venceu em 2016 e também chegou à final em 2014, na primeira edição.

“Não vamos ceder nossa característica de jogar, independente do jeito que eles (Paysandu) vierem. Estou concentrado nessa final para chegar lá e fazer uma grande partida, conquistando nosso objetivo”, afirmou o goleiro Bambu.

Campeão capixaba e da Copa Espírito Santo ano passado, o Galo da Vila vive o auge do clube, fundado em 5 de dezembro de 1965. É a primeira vez que um time capixaba chega a uma decisão de campeonato de nível nacional.

Técnico Zé Humberto comandou treino ontem de manhã, no estádio Engenheiro Araripe, em Cariacica. Kadidja Fernandes / AT
Técnico Zé Humberto comandou treino ontem de manhã, no estádio Engenheiro Araripe, em Cariacica. Kadidja Fernandes / AT
Ontem pela manhã, o time realizou a última atividade antes do primeiro jogo decisivo. Os jogadores e a comissão técnica entraram no campo principal do estádio Engenheiro Araripe, em Cariacica, por volta de 9h10.

“Fizemos um regenerativo com posse de bola, um dos fortes da nossa equipe, que domina bem, faz triangulações pelo lado direito e pelo meio, dando condições para jogar bem amanhã”, explicou o técnico Zé Humberto.

O treino foi tão leve, que às 9h45 alguns jogadores como o volante Vitor e o meia Chiquinho deixaram o campo. Enquanto isso, Zé Humberto ficou no círculo central do gramado conversando com os mais experientes, casos de Kleber Viana e Eraldo. Às 10h05, todos deixaram o local para voltar ao hotel onde estão hospedados, em Vitória.

“Acho que 80%, 90% dos jogadores atuaram em todas as partidas esse ano. Então, não tem muito o que fazer, o que treinar. Temos que nos recuperar, porque viemos de uma viagem longa, um jogo desgastante principalmente boa parte do segundo tempo com um jogador a menos (derrota por 1 a 0 para o Uberlândia em Minas Gerais)”, frisou o atacante Eraldo, artilheiro do time com 10 gols na temporada.

Estratégias para surpreender

Contra um rival que já disputou o Brasileirão e até mesmo a Libertadores, o Atlético/ES sabe que a tarefa agora é mais difícil do que nas partidas anteriores pela Copa Verde. Até aqui, já derrubou Brasiliense, Cuiabá e Luverdense, times que são conhecidos nacionalmente por participações nas principais divisões do País.

Pikachu (com a bola) impõe velocidade ao time. Foto: Rodrigo Gavini / AT
Pikachu (com a bola) impõe velocidade ao time. Foto: Rodrigo Gavini / AT
Porém, para um estreante em competições nacionais – jogou a primeira fase da Copa do Brasil em partida única contra o Remo em fevereiro, mas foi derrotado por 2 a 0 em casa –, o Galo da Vila tem seus méritos para bater de frente contra o Papão da Curuzu.

“Eles fazem o gol e recuam, jogam por uma bola. Acho que eles jogando com três zagueiros, isso pode facilitar também. Dentro de campo, procuramos estudar o mais rápido possível o adversário para não ser surpreendido”, disse o atacante Pikachu, que assistiu aos jogos do

Paysandu pela Série B contra Ponte Preta e Londrina, ambos vencidos por 1 a 0 pelo time paraense.

Zagueiro Kleber Viana levantou as taças do Capixabão e da Copa Espírito Santo, ano passado, como capitão. Agora, espera erguer a mais importante na história do clube. Foto: Divulgação / Atlético/ES
Zagueiro Kleber Viana levantou as taças do Capixabão e da Copa Espírito Santo, ano passado, como capitão. Agora, espera erguer a mais importante na história do clube. Foto: Divulgação / Atlético/ES
O zagueiro e capitão Kleber Viana preferiu não detalhar o que sabe sobre o rival, mas garante que o técnico Zé Humberto está preparado para dar as informações necessárias aos jogadores.

“O professor passou para a gente que eles mudaram o esquema tático e o jeito de jogar. Mas amanhã (hoje) na preleção o professor vai pedir o que quer que a gente faça contra a equipe deles, que vem de uma sequência boa, de vitórias”, afirmou.

Pikachu espera que o ritmo do Atlético/ES continue em alto nível. “Temos um jeito de jogar desde o início da temporada e estamos bem entrosados. Sabemos onde está nosso companheiro e isso facilita muito na hora de fazer as jogadas”.

Rival calou torcida do Boca Juniors 15 anos atrás

Com 104 anos de história, o Paysandu tem 47 títulos do Campeonato Paraense, duas edições da Segundona do Brasileiro (1991 e 2001), uma Copa Verde (2016) e uma edição da extinta Copa dos Campeões (2002).

Iarley, atacante do Paysandu em 2003, que marcou o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Boca Juniors pela Libertadores, na Argentina. Foto: Divulgação
Iarley, atacante do Paysandu em 2003, que marcou o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Boca Juniors pela Libertadores, na Argentina. Foto: Divulgação
Foi essa última que deu vaga para o Papão da Curuzu calar o estádio La Bombonera, do Boca Juniors, quando Iarley fez o gol da vitória por 1 a 0 pelas oitavas de final da Libertadores, no dia 24 de abril de 2003.

O Paysandu não avançou mesmo com a vantagem, já que perdeu em casa por 4 a 2 na volta. Porém, foi o maior feito do clube, que na época contava com o técnico Darío Pereyra.

“Em questão de dimensão, nem preciso repetir o tamanho que é o Paysandu, a história dele. Se a gente fizer o que aconteceu no decorrer do ano, temos condições de conseguirmos a vitória em casa e cravar o título no Pará e nosso nome na história. O pensamento é o título, com toda humildade e respeito pelo adversário paraense”, afirmou o atacante Eraldo.

Longe da elite do futebol brasileiro desde 2005, o atual Paysandu tem o técnico Dado Cavalcanti como grande trunfo. Foi ele quem comandou o time campeão invicto do Paraense em 2016, que teve o gol do título marcado pelo atacante capixaba Fabinho Alves.

Cassiano é o goleador do Paysandu. Foto: Fernando Torres / Divulgação
Cassiano é o goleador do Paysandu. Foto: Fernando Torres / Divulgação
Na Segundona, o time tem seis pontos, é o terceiro colocado e deve brigar forte por uma vaga no G-4. No Estadual, ficou com o vice-campeonato para o arquirrival Remo.

Com 13 gols em 19 jogos na temporada, o atacante Cassiano é o artilheiro do Paysandu e principal destaque. Na Copa Verde, é o goleador com sete gols.

ATLÉTICO/ES X PAYSANDU

Bambu
Paulinho
Rhayne
Kleber Viana
Marcos Felipe
Vitor
Araruama
Fabiano
Franklin
Pikachu
Eraldo
Técnico: Zé Humberto

Renan Rocha
Edimar
Diego Ivo
Perema
Matheus Silva
Nando Carandina
Renato Augusto
Mateus Muller
Moisés
Mike
Cassiano
Técnico: Dado Cavalcanti

Estádio: Kleber Andrade
Horário: 21h30
Juiz: Rodolpho Toski Marques (PR)

SERVIÇO

Final da Copa Verde – 1º jogo

Atlético/ES x Paysandu

Local: estádio Kleber Andrade, em Cariacica
Horário: 21h30
Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). Torcedor vestindo camisa de qualquer clube capixaba paga meia.
Troca por objetos recicláveis: Por cinco garrafas pet ou cinco latinhas de alumínio, o torcedor pode garantir um ingresso, nas máquinas Retorna Machine, que ficam até às 16 horas nos Shoppings Moxuara (Cariacica) e Praia da Costa (Vila Velha). Cada torcedor pode adquirir até quatro entradas pela máquina.
Bilheteria do estádio: abre às 19 horas para a compra de ingressos e troca de vouchers da Retorna Machine por ingressos

CONHEÇA O ADVERSÁRIO

Paysandu

Fundação: 2 de fevereiro de 2014
Local: Belém (PA)
Principais títulos: Campeonato Paraense (47 vezes), bicampeão da Segundona do Brasileiro (1991 e 2001), Copa dos Campeões (2002), Copa Verde (2016)
Como se classificou: Foi campeão do Campeonato Paraense em 2017
Como está hoje: Foi vice-campeão do Campeonato Paraense deste ano e é o terceiro colocado na Segundona do Brasileiro
Destaque: Cassiano, atacante, artilheiro da Copa Verde com sete gols e 13, ao todo, em 19 jogos que fez na temporada