Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Conversa de WhatsApp deu origem à ordem de execução

Notícias

Polícia

Conversa de WhatsApp deu origem à ordem de execução


Uma mensagem de áudio enviada pelo WhatsApp por uma amiga da ex-mulher do preso Ícaro Santana Soares, de 25 anos, apontado como chefe do tráfico de drogas nos bairros São Marcos e Serra Dourada, na Serra, deu origem ao assassinato brutal de Fernando Monteiro Telles, de 30.

Fernandinho, como era conhecido, teve a cabeça cortada por uma espada, no Bairro da Penha, Vitória, e o corpo queimado na Serra, no dia 28 de março deste ano. As investigações mostram que ele foi morto porque teria tido um caso com a mulher de Ícaro.

O advogado criminalista Frank William de Moraes Leal Horácio, de 30 anos, foi preso acusado pela polícia de levar a ordem da execução a traficantes na Serra.

De acordo com as provas do inquérito da Polícia Civil, conversas de WhatsApp mostram que a amiga da mulher de Ícaro afirmou que teve uma arma apontada para a cabeça e foi obrigada a gravar um áudio contando da traição ao traficante Ícaro, que está preso.

Nas mensagens, a mulher pede perdão a Fernandinho e diz que está com medo de morrer. Fernandinho, por sua vez, fica desesperado e diz que a mulher colocou “vidas de inocentes” em risco. O áudio gravado foi usado para sentenciar Fernandinho à morte, no alto do Bairro da Penha. Ao todo, 10 pessoas foram indiciadas no caso. Duas ainda não foram presas.

Conversa: vítima e testemunha (Foto: Reprodução)
Conversa: vítima e testemunha (Foto: Reprodução)


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados