Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Como funcionaria um elevador até o espaço

Notícias

Ciência e Tecnologia

Como funcionaria um elevador até o espaço


Projeção de um elevador até o espaço: estrutura seria “ancorada” na Lua e funcionaria como uma “ferrovia” (Foto: Divulgação)
Projeção de um elevador até o espaço: estrutura seria “ancorada” na Lua e funcionaria como uma “ferrovia” (Foto: Divulgação)

Parece ideia originada de ficção científica. E, certamente, diversas obras do gênero – a começar por As Fontes do Paraíso (1979), de Arthur C. Clarke – flertaram com a possibilidade de construção de um elevador entre a Terra e o espaço.

A proposta, no entanto, também foi levada seriamente em consideração por cientistas desde que Konstantin Tsiolkovsky, pai da cosmonáutica soviética, propôs em 1895 a construção de uma torre de 35.786 km.

O problema é que a construção de uma estrutura desse porte implica desafios até agora impossíveis de serem superados.

Nos anos 1990, houve avanço: o desenvolvimento de nanotubos de carbono levou a Nasa a se convencer que era factível a construção de um elevador espacial.

E no fim de agosto deste ano, dois pesquisadores das universidades de Cambridge, no Reino Unido, e de Columbia, nos Estados Unidos, apresentaram uma nova proposta de elevador espacial que é viável com tecnologia atual, segundo eles.

Batizado de Cabo Espacial, o modelo desenvolvido por Zephyr Penoyre e Emily Sandford propõe “ancorar” na Lua um cabo que se estende à zona de gravidade da Terra.

“Com os materiais atuais, é possível construir um cabo que se estenda até a altura da órbita geoestacionária, o que facilitaria a viagem e a construção entre a Terra e a Lua”, disseram os pesquisadores em um artigo científico.

O tal cabo, estimam os pesquisadores, teria que ser bastante estreito em suas extremidades, para não desmoronar devido à pressão gravitacional. E também precisaria ser amplo no centro, a fim de impedir sua quebra.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados