search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Como acontecimentos trágicos podem se tornar aprendizados
Tribuna Livre

Como acontecimentos trágicos podem se tornar aprendizados

Uma sucessão de acontecimentos trágicos nos últimos dias colocou os brasileiros diante de um sofrimento coletivo, mistura de indignação, frustração, angústia, desânimo. Afinal, grandes tragédias suscitam umas das emoções mais básicas do ser humano: a tristeza.

Esse sentimento se origina de uma percepção de perda, de algo que não pode ser substituído com facilidade. Por isso, a tristeza pode resultar em duas ações distintas: tentar recuperar o que foi perdido ou, de alguma forma, superar aquilo, encontrando coisas que possam preencher o espaço vazio.

Certamente, lidar com a perda de um emprego ou com o término de um relacionamento afetivo é mais fácil do que enfrentar situações em que dezenas de vidas (às vezes, centenas, como no caso de Brumadinho, em Minas Gerais) se vão num piscar de olhos.

Desde muito cedo, em nossa existência, somos estimulados a buscar a felicidade. De forma incessante. Evita-se a todo custo a tristeza, não se fala sobre ela, como se essa emoção fosse um monstro à espreita, dissociada da vida humana, distante de nosso dia a dia.

É claro que todos queremos viver uma vida alegre, mas é preciso entender que todas as emoções nos ensinam algo.

Aprender a lidar com elas, sejam agradáveis ou desagradáveis, é fundamental para que as pessoas possam se desenvolver de maneira saudável.

Em situações de perda, a tristeza ajuda a compreender o que é realmente importante em nossas vidas, pois fortalece os laços afetivos entre os que ficam.

O sofrimento é condição indissociável do ser humano e pode ajudar no desenvolvimento de habilidades como resiliência e autocontrole.

É desejável, é normal, é necessário viver o luto pela morte de uma pessoa querida ou chatear-se por conta de um desastre como as tragédias que aconteceram recentemente.

Apesar de tristes, essas situações nos ajudam a pensar nas relações humanas que queremos construir.

Tragédias de grandes proporções também podem provocar raiva, emoção que está associada à percepção de injustiça diante do que aconteceu.

Dependendo de sua intensidade, a raiva pode levar a uma explosão emocional. No entanto, é possível torná-la positiva, se canalizamos esse sentimento para ações preventivas, evitando que novos episódios como esses se repitam.

A raiva é capaz de ajudar a combater as causas que geraram desastres como esses.

O mais importante de tudo é compreender os próprios sentimentos. Quando não racionalizamos a tristeza ou outras emoções desagradáveis, elas podem se transformar em “sombras”, que se refletem nas relações humanas e que desencadeiam até mesmo alguns sintomas físicos.

Todos nós estamos sujeitos a ter esses sentimentos ao longo da vida e o que pode servir de lição é canalizar os nossos esforços para o que está totalmente ao nosso controle.

Falar sobre a tristeza, elaborando-a internamente, pode ser um passo importante para detectar doenças sérias, como a depressão.

A aprendizagem socioemocional é um instrumento poderoso nessa jornada de autoconhecimento. Precisamos entender que sentir emoções, todas elas, é o que nos torna, essencialmente, humanos.

Celso Lopes de Souza é médico psiquiatra, professor e fundador do Programa Semente.


últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

O Rio de Janeiro continua lindo, mas até quando?

Matéria jornalística exibida recentemente no Rio de Janeiro apresentou dados aterrorizantes da criminalidade no estado. Os dados apontam um mapa inédito do crime e foi produzido pela Polícia …


Exclusivo
Tribuna Livre

Desafios da liderança em tempo de pandemia e home office

O ambiente organizacional ao longo dos anos vem passando por várias mudanças como, por exemplo, desenvolvimento de tecnologias, mudança dos mercados, das relações de trabalho, dentre outras. Além …


Exclusivo
Tribuna Livre

A pandemia, o déficit de visibilidade e o desvario do olhar

No antigo normal, na vida que se vivia em duas fatias, a presencial e a digital, o olhar e o dar-se ao olhar alheio permitiam uma verdadeira farra de visibilidade. Mas, no meio da vertigem de …


Exclusivo
Tribuna Livre

Motivação no isolamento torna a rotina menos estressante

Diante de uma pandemia e do isolamento social, pessoas com rotinas agitadas foram de repente obrigadas a desacelerar. Ganharam mais tempo com a família, aumentaram os afazeres de casa, tiveram seus …


Exclusivo
Tribuna Livre

Congresso tem mais funcionários do que 48 municípios do Estado

O Congresso Nacional aprovou e já está em pleno vigor a Lei Complementar nº 173, de 27 de maio de 2020, que trata da ajuda financeira a estados e municípios e estabelece o “Programa Federativo de …


Exclusivo
Tribuna Livre

Desafios da educação após a pandemia do novo coronavírus

Estudos recentes, como em Todos pela Educação (05/2020), mostram que os desafios com que se defrontarão gestores e profissionais da Educação quando do retorno das aulas presenciais são de tal …


Exclusivo
Tribuna Livre

A digitalização dos planos de saúde acelerada pela pandemia

Grandes desafios podem provocar grandes revoluções. A necessidade de superar adversidades leva a humanidade a repensar hábitos e valores e a usar todo o seu potencial de criação. Nestes tempos …


Exclusivo
Tribuna Livre

A importância da Lei da Fauna capixaba em tempos de Covid

Em dezembro de 2019, foi sancionada a Lei Estadual de Proteção à Fauna que, dentre outros assuntos, cuida da prevenção de doenças advindas da relação humana com os animais, alertando sobre o perigo …


Exclusivo
Tribuna Livre

Relacionamentos abusivos mais evidentes durante a pandemia

É significativo o aumento de casos de violência doméstica durante o isolamento social. Mas, infelizmente, a pandemia apenas traz à tona questões já presentes. É num momento de excesso ou modificação …


Exclusivo
Tribuna Livre

Peste, indiferença e luta

Quando a peste resolve sair de seu recôndito esconderijo e assombrar a humanidade, o desespero e a indiferença vêm na bagagem. Desespero porque, por mais pestes e guerras que já tenham havido na …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados