Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Comédia com os melhores do mundo

Entretenimento

Entretenimento

Comédia com os melhores do mundo


Ricardo Pipo, que interpreta o Hermanoteu, e Welder Rodrigues (Foto: Nicolau ElMoor/Divulgação)
Ricardo Pipo, que interpreta o Hermanoteu, e Welder Rodrigues (Foto: Nicolau ElMoor/Divulgação)
Rir com os melhores do mundo. Opa! Nada mal, não é? Mas a piada começa aí, com o nome da companhia de teatro de Brasília que, há 24 anos, está em cartaz com o espetáculo “Hermanoteu na Terra de Godah”.

“Esse nome já tem uma carga de humor. A plateia pensa: 'os melhores do mundo, então deve ser bom'. É um marketing (risos)”, explica ao AT2, em tom de brincadeira, Victor Leal.

 (Foto: Nicolau ElMoor/Divulgação)
(Foto: Nicolau ElMoor/Divulgação)
Em cena, a mesma turma: Adriana Nunes, Adriano Siri, Jovane Nunes, Ricardo Pipo, Victor Leal e Welder Rodrigues, que volta a Vitória com o peregrino Hermanoteu e sua jornada de humor que fará sua estreia no palco do Teatro da Ufes, em Goiabeiras, nos próximos sábado e domingo.

“A temática funciona como um pano de fundo para falarmos sobre a sociedade, política e de cada cidade que vamos. Mesmo com 24 anos, ela continua se reinventando. Improvisamos muito. Logo, o espetáculo vai se mexendo, é orgânico”, ressalta.

“Somos quase cronistas do momento” - Victor Leal, ator e músico

AT2: Para atualizar a peça, há uma pesquisa sobre a cidade onde estarão?
Victor Leal: Ah, sempre! Tentamos colocar o máximo possível de cada local: uma gíria, fato político, falamos do time da cidade. Isso cria uma empatia com a plateia. Em Vitória, por exemplo, brincávamos com a dificuldade para achar o aeroporto. Sobrevoávamos, sobrevoávamos e descíamos naquela banca de jornal que tinha lá (Risos). Agora, já tem um aeroporto mais digno. A plateia adorava (Risos).

AT2: Então, também dá para rir dos dramas?
Victor Leal: Claro! O povo se identifica, né? Somos quase cronistas do momento. Falamos sobre o que as pessoas passam, da realidade delas. Apesar de ser um peça bíblica, vamos falar de Bolsonaro, de Lula, da política local.

AT2: Quando criaram o espetáculo, tiveram algum tipo de preocupação sobre a aceitação, já que tem a temática bíblica?
Victor Leal: Sempre estivemos muito seguros, apesar de ter Jesus na peça. Não tratamos de uma maneira desrespeitosa. Fizemos o filme agora, com lançamento previsto para dezembro. É nosso primeiro longa-metragem: “Hermanoteu, O Filme”. Não há o interesse em chocar por chocar.

Hermanoteu na Terra de Godah (Foto: Nicolau ElMoor/Divulgação)
Hermanoteu na Terra de Godah (Foto: Nicolau ElMoor/Divulgação)
AT2: É a mesma história da peça?
Victor Leal: Não exatamente. Tem algumas cenas mais clássicas da peça, mas é uma história bem diferente da contada no teatro. Filmamos no Atacama, Chile, e no Rio de Janeiro. Recebemos três convidados muito especiais: Milton Gonçalves, Marcos Caruso e Jonas Bloch. Além do Chico Anysio, que já é a voz de Deus no nosso espetáculo.

AT2: Quando o Chico “entrou” nessa?
Victor Leal: Em 2000, quando remontamos a peça. Somos amigos do Bruno Mazzeo, filho do Chico, e sugerimos. O Chico Anysio foi supersimpático: foi lá para o estúdio e deu um monte de ideia boa. É muito legal saber que, enquanto o Hermanoteu estiver em cartaz, o Chico seguirá vivo nos palcos do Brasil.

AT2: O que só vem provar que a comédia não envelhece?
Victor Leal: Sim. Ela se reinventa, atualiza.

AT2: E há muitas formas de fazer rir, inclusive?
Victor Leal: Sim, sim. Somos de uma época – ano que vem completamos 25 anos de carreira – que não tinha internet. Tudo era muito mais difícil. Já moramos fora do eixo cultural São Paulo-Rio de Janeiro, então, para mostrar nosso trabalho, tínhamos que pegar um ônibus e fazer umas temporadas nesses locais. Hoje é muito mais fácil, com a internet.

AT2: Provando que Brasília vai além das bandas de pop rock...
Victor Leal: E mais que isso! Não é só corrupção, política, governo. A gente sabe que não é uma cidade muito bem vista no restante do País, justamente por associar à política, ao funcionalismo público. E não é isso! Brasília é a terceira maior cidade do País, tem uma vida cultural e social muito intensa.

Tem uma vida que passa à parte do Congresso, Presidência. Então, levar a comédia para todo o Brasil também é uma forma de aumentar a autoestima do brasiliense, sabe? E a cidade que viu a gente crescer nesses quase 25 anos também se acha até um pouco “dona” do grupo. A gente fala que, em Brasília, não temos plateia, temos torcida. O pessoal vibra muito com a gente.


SERVIÇO:
“Hermanoteu na Terra de Godah”
O quê:
Comédia com a companhia Os Melhores do Mundo
Quando: Próximo sábado, às 19h e 21h e domingo, às 20h
Onde: No Teatro da Ufes. Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras, Vitória
Ingressos (meia): Para sábado, Térreo a R$ 45,00 e Mezanino a R$ 25,00. Para domingo, R$ 50,00 para todos os setores
Venda: tudus.com.br e na bilheteria, de terça a sexta, das 15h às 20h, e nos dias das sessões, das 15h até a hora do espetáculo
Inf.: 3376-0933
Clas.: 14 anos


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados