Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Papo de Família

Papo de Família

Colunista

Cláudio Miranda

Quando você deve fazer terapia?

Cláudio Miranda, Colunista de A Tribuna | 04/06/2022, 09:33 09:33 h | Atualizado em 04/06/2022, 09:33

O viver tem seus desafios diários com maior ou menor intensidade para uma ou para outra pessoa. É comum passarmos por dificuldades de relacionamento, problemas financeiros, no trabalho, na família e na saúde. Cada um tem seu próprio jeito de lidar com aquilo que o destino lhe trás no dia a dia. E como você lida com isso?

Fazer terapia já foi considerado como algo de “gente maluca”, mas atualmente ela é reconhecida como um caminho importante e saudável para a resolução de problemas afetivos e emocionais que incomodam e impedem uma vida mais harmônica e equilibrada.

Se o campo afetivo e emocional de uma pessoa não estiver minimamente equilibrado, a pessoa terá dificuldade na sua vida de relações. Então, ela poderá se mostrar agressiva, irritadiça, arrogante, autoritária, fria ou apática, confusa, desorganizada e triste.

É importante entender a própria dor e reconhecer seus limites e assim buscar uma ajuda terapêutica. A terapia ajuda a pessoa a se centrar e se fortalecer interiormente. 

Durante a terapia, a consciência se expande e a pessoa consegue superar entraves e limitações psíquicas que as impediam de mostrar o seu potencial e sua luz.

Uma pessoa que passa por um processo terapêutico tem uma percepção melhor do seu potencial e de suas limitações. Ela não se culpa pelos seus erros porque conhece seus limites e busca sempre formas de superação.

Ter um profissional que entenda melhor de comportamento e psiquismo humano pode ser muito bom para o crescimento pessoal e nas relações que vivemos diariamente. 

Quando superamos e resolvemos nossos traumas,  nossa vida fica mais fácil de ser conduzida pelo melhor entendimento que adquirimos sobre quem somos e quais caminhos queremos seguir.

No processo terapêutico reconhecemos nossa natureza humana e procuramos ser o melhor que podemos sem sofrermos demasiadamente com os nossos erros e desacertos, pois isso faz parte da nossa jornada de crescimento humano. 

A solução dos nossos problemas está na busca de equilíbrio e superação dos desafios que surgem a cada momento da vida. 

Na terapia, o paciente aprende aceitar a vida como um processo constante de oportunidades e de renovação. Viver não é um fim, é um meio e um caminhar para se chegar onde você quer. 

Espero que esse artigo tenha te ajudado. Até o próximo sábado.

Cláudio Miranda é terapeuta individual e familiar, psicopedagogo clínico, pós-graduado pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

MATÉRIAS RELACIONADAS