X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Antialérgicos são os novos aliados contra queda de cabelo

| 22/10/2020 19:34 h

Se tem algo que incomoda homens e mulheres é a queda de cabelo. O problema pode estar ligado a diversos fatores, como a alopecia areata, uma doença inflamatória.

Para quem sofre com a queda dos fios, surge uma nova esperança de tratamento: o uso dos anti-histamínicos, popularmente conhecidos como antialérgicos, como uma alternativa terapêutica.

O estudo foi publicado no Jornal da Academia Americana de Dermatologia. Os pesquisadores avaliaram o uso de antialérgicos combinado a outras terapias comuns no tratamento da alopecia areata, como corticoides tópicos (pomadas) e crioterapia superficial (gelo seco), por 148 pacientes, entre 2012 e 2018.

O médico tricologista (especialidade que se dedica ao estudo sobre cabelos) Lucas Fustinoni explicou que a alopecia areata resulta na formação de placas sem cabelo no couro cabeludo.

Referência internacional em Tricologia e membro da World Trichology Society (Sociedade Mundial de Tricologia), Lucas destacou que, se o problema persistir por muito tempo, a recuperação do cabelo fica mais difícil.

“Na alopecia areata, como o cabelo está sendo agredido pelo corpo humano, sem um motivo específico, ele fica adormecido. Se for agredido por mais de dois anos, o cabelo morre e não é possível recuperar. Se nesse período, a agressão for interrompida, essa 'semente' volta a brotar”, explicou.

O médico afirmou que a doença tem vários tratamentos, que se tornariam mais acessíveis com o novo estudo. Hoje, algumas técnicas usadas podem chegar a R$ 15 mil.

Hannah Cade:  estudo pode ajudar casos mais difíceis de queda de cabelo
Hannah Cade: estudo pode ajudar casos mais difíceis de queda de cabelo |  Foto: Leone Iglesias/AT
Segundo a dermatologista Hannah Cade, ainda são necessários mais estudos, para ver os resultados ao longo do tempo.

Ela explicou que, geralmente, os pacientes apresentam boas respostas ao tratamento convencional. “Para os casos mais difíceis, é interessante estudar outros métodos”, disse.

Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, a dermatologista Karina Mazzini destacou que a alopecia areata pode atingir também os pelos do corpo, como a barba nos homens.

Ela citou que há vários tipos de alopecia, como a androgenética (calvície). Sobre o tratamento, a dermatologista ressaltou que é preciso diferenciar qual é a alopecia para definir o método.


Saiba mais


Alopecia areata

  • É uma doença inflamatória, conhecida popularmente como “pelada”, que provoca queda de cabelo. Diversos fatores estão envolvidos no seu desenvolvimento, como genéticos e imunológicos.

Estudo

  • Pesquisadores avaliaram o uso dos anti-histamínicos (antialérgicos), combinado a outras terapias comuns no tratamento da doença, em 148 pacientes, entre os anos de 2012 e 2018.

  • Os pacientes avaliados foram divididos em dois grupos: aqueles que foram tratados somente com corticoides tópicos e crioterapia superficial e outros que também utilizaram anti-histamínicos, como a Fexofenadina e a Ebastina, como coadjuvantes no processo.

  • Os estudiosos observaram que 100% dos pacientes que usaram os antialérgicos apresentaram recuperação do crescimento capilar sem efeitos colaterais, enquanto apenas 79,3% dos participantes do outro grupo exibiram resultados comparáveis.

Fonte: Jornal da Academia Americana de Dermatologia.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS