Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Cenário sombrio
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


Cenário sombrio

É tenso o clima entre os jogadores e a diretoria do Botafogo para o jogo desta noite contra o Goiás, no Nilton Santos, duelo que ganhou contornos preocupantes.

A insatisfação, que antes se dava pelos atrasos nos salários e pelo abandono dos dirigentes, tem um agravante: a demissão do técnico Eduardo Barroca. Boa fonte, daquelas com livre acesso pelos corredores do estádio, me contou que as principais lideranças do time pediram ao vice de futebol Gustavo Noronha, ainda na noite de domingo, que o técnico não fosse afastado.

O cartola ponderou que havia uma pressão de conselheiros e, após consultar o presidente Nelson Mufarrej, oficializou a mudança no comando. Batata quente que ficou nas mãos de Bruno Lazaroni, filho do técnico da Seleção na Copa da Itália, em 1990, e até então auxiliar de Barroca.

Pedido

Não sei ao certo se os dirigentes deveriam atender ao pedido dos jogadores e, de certa forma, fazer como Fluminense e São Paulo, que dividiram suas decisões com os mais experientes do elenco, prática que tem sido recorrente nos clubes brasileiros.

Mas entendo que, como já era ruim a relação entre a direção e os jogadores, talvez fosse mais inteligente fortalecê-los como time. Pelo jeito, na visão deles, a saída de Eduardo Barroca não acenava apenas com o risco de uma mudança no paradigma tático. E a recusa da diretoria em manter o que vinha sendo feito abriu nova ferida num corpo já machucado.

Agora, se não agir com cautela e se não for cirúrgica na escolha do novo treinador, a diretoria periga levar o Botafogo para a disputa na parte de baixo da tabela.

Desfalques

O Goiás, adversário desta noite, é o líder do returno do Brasileiro com quatro vitórias e sem um gol sofrido. E o time alvinegro vai para campo com dois desfalques na linha defensiva (Joel Carli e Gilson), e ainda sem Alex Santana, ausente nas últimas quatro partidas.

Marcelo Benevenuto, de 23 anos, formará a zaga com Gabriel, de 24, a dupla Fernando Constanza, de 20, e Lucas Campos, de 21, assumirá as laterais, e Gustavo Bochecha, de 23, entra no meio-campo.

Ou seja: um setor defensivo muito jovem e nas mãos de um técnico interino com a missão de evitar que o time se aproxime do Z-4 com o quinto tropeço consecutivo.

Resumindo: salários atrasados, desarmonia entre jogadores e dirigentes, um grupo jovem, sem muitos recursos, e uma torcida pressionando com invasões a treinos e ameaças violentas. É ou não é um cenário pavoroso a 15 rodadas do final do Brasileirão?

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Bola na cal

Cinco pênaltis em sete jogos foi o saldo de uma rodada que deixou o Flamengo um pouco mais perto de mais um título do Brasileirão — o sétimo de sua coleção. Mesmo desfigurado, sem algumas das …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Casaca!

O sucesso de Jorge Jesus no comando de um Flamengo recheado de estrelas, e numa era globalizada, não podia dar em outra coisa: os jornalistas portugueses se engajaram no dia a dia do clube de tal …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A fartura

Houve muita discussão em torno da capacidade de investimento do Flamengo, que teve no orçamento deste ano R$ 130 milhões só para investir na aquisição de reforços — valor revisto depois para R$ 137 …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O fogo amigo

Os áudios gravados por Carlos Augusto Montenegro, vazados por algum de seus companheiros de grupo no WhatsApp, não deveriam ser notícia. Não fosse o fato de o ex-presidente capitanear o grupo que vem …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

Com cinco pontos de vantagem sobre o Palmeiras, hoje o segundo colocado, o Flamengo começa a materializar uma supremacia que seus próprios adversários, nos bastidores, já perceberam. Não há no …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Outubro partido

A bela atuação do Flamengo em Porto Alegre, na primeira partida das semifinais da Libertadores, deixou um saldo amargo para os rubro-negros: em primeiro plano, o gol de Pepê, que decretou o injusto …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O fator Galhardo

Sei que o futebol exige respeito entre os competidores; que o jogo é disputado nas quatro linhas; e que não há favorito no confronto entre dois grandes clubes. Mas, seja lá qual for o clichê que se …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões

Há tempos alerto por aqui que a cúpula da CBF deveria se reunir com representantes dos clubes ao término do turno e ver prós e contras do VAR em arbitral. E rever com eles orientações da Internationa…


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A revolta dos treinadores

A Federação Brasileira dos Treinadores de Futebol (ABTF) tentou mobilizar os técnicos em atividade nos clubes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro em torno de um manifesto de luto pelo tratament…


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A prova final

O Flamengo de Jorge Jesus inicia nesta quarta-feira (25) série mais crítica de jogos desde o início do trabalho, em julho. Até a partida contra o Santos, no dia 7 de dezembro, na última rodada …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados