search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Cenário sombrio
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


Cenário sombrio

É tenso o clima entre os jogadores e a diretoria do Botafogo para o jogo desta noite contra o Goiás, no Nilton Santos, duelo que ganhou contornos preocupantes.

A insatisfação, que antes se dava pelos atrasos nos salários e pelo abandono dos dirigentes, tem um agravante: a demissão do técnico Eduardo Barroca. Boa fonte, daquelas com livre acesso pelos corredores do estádio, me contou que as principais lideranças do time pediram ao vice de futebol Gustavo Noronha, ainda na noite de domingo, que o técnico não fosse afastado.

O cartola ponderou que havia uma pressão de conselheiros e, após consultar o presidente Nelson Mufarrej, oficializou a mudança no comando. Batata quente que ficou nas mãos de Bruno Lazaroni, filho do técnico da Seleção na Copa da Itália, em 1990, e até então auxiliar de Barroca.

Pedido

Não sei ao certo se os dirigentes deveriam atender ao pedido dos jogadores e, de certa forma, fazer como Fluminense e São Paulo, que dividiram suas decisões com os mais experientes do elenco, prática que tem sido recorrente nos clubes brasileiros.

Mas entendo que, como já era ruim a relação entre a direção e os jogadores, talvez fosse mais inteligente fortalecê-los como time. Pelo jeito, na visão deles, a saída de Eduardo Barroca não acenava apenas com o risco de uma mudança no paradigma tático. E a recusa da diretoria em manter o que vinha sendo feito abriu nova ferida num corpo já machucado.

Agora, se não agir com cautela e se não for cirúrgica na escolha do novo treinador, a diretoria periga levar o Botafogo para a disputa na parte de baixo da tabela.

Desfalques

O Goiás, adversário desta noite, é o líder do returno do Brasileiro com quatro vitórias e sem um gol sofrido. E o time alvinegro vai para campo com dois desfalques na linha defensiva (Joel Carli e Gilson), e ainda sem Alex Santana, ausente nas últimas quatro partidas.

Marcelo Benevenuto, de 23 anos, formará a zaga com Gabriel, de 24, a dupla Fernando Constanza, de 20, e Lucas Campos, de 21, assumirá as laterais, e Gustavo Bochecha, de 23, entra no meio-campo.

Ou seja: um setor defensivo muito jovem e nas mãos de um técnico interino com a missão de evitar que o time se aproxime do Z-4 com o quinto tropeço consecutivo.

Resumindo: salários atrasados, desarmonia entre jogadores e dirigentes, um grupo jovem, sem muitos recursos, e uma torcida pressionando com invasões a treinos e ameaças violentas. É ou não é um cenário pavoroso a 15 rodadas do final do Brasileirão?

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Outros quinhentos...

Existe interessante discussão entre torcedores e jornalistas sobre até que ponto a falta de público nos estádios influenciará no desempenho técnico dos times. A nova realidade imposta pela pandemia …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A peça que falta...

O marfinense Salomon Kalou, que completa 35 anos nesta quarta-feira, ainda está no aguardo do visto europeu para confirmar sua chegada ao Rio de Janeiro na próxima sexta-feira. É o tal Schengen …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O sofrimento bate à porta

A uma semana da abertura do Brasileiro, tentando ainda entender a economia do futebol no novo mundo, os principais clubes das Séries A e B começam a sentir o impacto dos meses sem futebol no segundo …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A aposta da vez...

O Flamengo está mesmo em vias de acertar com o treinador Domènec Torrent, de 58 anos, que fez carreira ao lado do vitorioso Pep Guardiola, auxiliando-o no Barcelona, no Bayern Munique e no Manchester …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões

O o enredo visto no Rio se repete em São Paulo e em Minas, no Sul do país e no Nordeste: bola rolando fora de hora, times com baixa competitividade e jogos pouco atrativos. Como já andei …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O atraso...

A duas semanas da estreia do time no Campeonato Brasileiro, o Vasco deu folga aos jogadores no sábado e no domingo – isso depois de mais de cem dias de inatividade no campo. Segunda (27), os …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Carli, Yony e Kalou...

O Vasco tem problemas no caixa, a exemplo da maioria dos grandes clubes brasileiros – e os últimos acontecimentos no Santos e no Corinthians mostram que o momento não está fácil para ninguém. Mas a …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O tom da crueldade...

Embaçadas por tudo que cercou a conquista do bicampeonato do Flamengo, as análises da atuação do Fluminense nos três jogos que decidiram a Taça Rio e o Carioca tiveram o imperceptível tom da …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O substituto...

Seja lá quem for o próximo técnico do Flamengo, o substituto de Jorge Jesus encontrará um elenco bem fornido, de alta qualidade técnica, e um time experiente, entrosado, e com padrão e conceito de …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

“Tudo..., não terás!”

O Flamengo de Jorge Jesus levou seis dos nove troféus que disputou em 12 meses de competição. Venceu Taça Guanabara, Carioca, Brasileirão, Supercopa, Libertadores e Recopa. Perdeu Taça Rio, Copa do …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados