search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Casal gay adota bebê com HIV que havia sido rejeitada por dez famílias

Notícias

Internacional

Casal gay adota bebê com HIV que havia sido rejeitada por dez famílias


Um casal gay adotou uma menina com HIV que já havia sido rejeitada por dez famílias. O caso aconteceu na Argentina quando Damián Pighin, 42 anos, e Ariel Vijarra, de 39, disseram "sim" à bebê. "A conexão foi imediata", contou Vijarra sobre o contato com a menina que hoje tem 5 anos.

Damián e Ariel se casaram em 2012. Eles foram o primeiro casal gay a se casar na província de Santa Fé. Logo depois da união, os dois decidiram que a família deveria crescer. No entanto, a tarefa não foi fácil. 

Por três anos o casal aguardou até receber uma ligação de que havia uma criança disponível para adoção. Contudo, eles foram surpreendidos com a informação de que a criança de 28 dias tinha HIV.

O casal Damián Pighin e Ariel Vijarra com a bebê ainda recém-nascida. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
O casal Damián Pighin e Ariel Vijarra com a bebê ainda recém-nascida. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Mas ao contrário de outros casais, os dois decidiram adotar a bebê. "Nunca tivemos dúvidas. A primeira coisa que fizemos foi pedir autorização para visitá-la no mesmo dia", contou Damián a agência de notícias "Infobae".

"Nós a seguramos em nossos braços, demos a mamadeira e ela olhou para nós com os olhos bem abertos, sem chorar", disse Vijarra.

Logo que chegou em casa, Olívia iniciou um tratamento contra o vírus que contraiu ainda na barriga da mãe.

Atualmente, ela tem cinco anos de idade e não tem mais sinais do HIV no organismo. 

"O tratamento foi com AZT, como fazem os adultos, já que não existem medicamentos antirretrovirais pediátricos. Ela se comportou como uma guerreira. Um ano e meio depois que ela nasceu, os infectologistas confirmaram que todos os exames deram negativo. Não tinha mais HIV, era saudável. Foi escolhida por Deus. É algo inexplicável ”, disseram os pais.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados