Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Capixaba conquista prêmio nacional com a melhor técnica para torra de café

Notícias

Cidades

Capixaba conquista prêmio nacional com a melhor técnica para torra de café


O 3º Campeonato Brasileiro de Torra de Café, responsável por indicar a melhor técnica para torra, classificou o capixaba Jonathan de Campos Piazarolo como o melhor entre 26 competidores do Brasil. O evento aconteceu na noite do último sábado(07), no Mercado Municipal de Curitiba, Paraná.

Quem ficou com o segundo lugar foi a gaúcha Michele Loreto, o terceiro lugar ficou com o mineiro Jack Robson Silva. (Foto: Nathalia Camoleze)
Quem ficou com o segundo lugar foi a gaúcha Michele Loreto, o terceiro lugar ficou com o mineiro Jack Robson Silva. (Foto: Nathalia Camoleze)

Jonathan Piazarolo, 38 anos, terá mais uma missão, agora vai representar o Brasil no campeonato mundial no Taiwan, em novembro.

O capixaba é mestre em torra e agora, também tem a melhor técnica de preparo de cafés especiais do país. Além disso, é co-proprietário da empresa Trentino Cafés Especiais, atuando desde 1999 como especialista em torrefação de cafés no Espírito Santo.

“Comecei torrando no torrador bolinha, fui fazendo cursos de provador de café, Barista e torra. Esse ano também completo 10 anos que fundei uma torrefação dedicada somente a cafés especiais chamada Trentino Cafés Especiais”, pontua a mestre em torra.

Ao todo, 26 profissionais do Brasil foram selecionados para participarem do campeonato. O capixaba ressalta que esperava ficar entre os cinco primeiros e não contava com o primeiro lugar.

 (Foto: Divulgação / Nathalia Camoleze)
(Foto: Divulgação / Nathalia Camoleze)
Avaliação
Os juízes avaliam a qualidade da torra feita pelo profissional em três etapas. A primeira, consiste na classificação física dos grãos, ao seja, antes de torrar, os juízes avaliam os possíveis defeitos no grão cru. Em seguida, os candidatos preparam um plano de torra baseado em uma prova sensorial que fazem do café.

A Última etapa é a torra do café, nessa parte, o candidato precisa ser fiel ao plano de torra proposto e apresentar os melhores atributos do café.

“Trabalho muito para apresentar a qualidade dos cafés do Espírito Santo, ao resto do país, orgulho de lidar somente com pequenos produtores e agricultura familiar, fomento mercado e levando o nome do ES para os melhores estabelecimentos especializados do país” finaliza o capixaba. 
 


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados