Música

Cantora Mahmundi lança segundo disco e traz experiência em mistura de sons


 (Foto: )
(Foto: )

Com a voz mansa que fidelizou o público fã da nova MPB, a carioca Marcela Vale (Mahmundi, para os íntimos) admite estar muito feliz, agitada e contente com a boa recepção do novo álbum. “Tive um pouco de receio em relação às sonoridades diferentes”, ela admite. “Mas estou feliz com a boa recepção que o álbum teve”. Para dias ruins reúne nove faixas, fruto de muita pesquisa da cantora.

Ela mistura efeitos de voz, reverbes e delays que marcaram trabalhos anteriores a um som mais limpinho. “Eu tentei arquitetar um jeito de aprender, produzir e evoluir’, ressalta Mahmundi. “Meus outros trabalhos tinham uma identidade muito minha, muito particular. Agora estou muito mais aberta a conhecer outras pessoas e o que elas produzem.”

A porta para os novos sons foi aberta com os singles Imagem, Tempo para amar e Qual é a sua. As músicas falam de amores que possam comunicar com mais pessoas, que qualquer um pode sentir. Com clipe gravado em Salvador, Qual é a sua faz quem ouve lembrar daqueles momentos de indecisão frente a um relacionamento que acabou de começar.

Pesquisadora assídua de sonoridades e entusiasta de novas experimentações, Mahmundi admitiu estar atenta ao que é produzido em Brasília. Destacou o Festival Bocadim, iniciativa que busca criar um ambiente de respeito e valorização da cultura LGBT. Citou Pedro Martins, guitarrista brasiliense que transformou sua percepção musical. “Tem tanta coisa bacana acontecendo, a gente precisa se esforçar pra fazer desse momento de fato um momento, um marco”, ela anseia.