Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Cachorro é baleado durante tiroteio em Santa Martha

Notícias

Polícia

Cachorro é baleado durante tiroteio em Santa Martha


O tiroteio que aconteceu no fim da noite de quinta-feira (19) na região de Andorinhas, em Vitória, feriu um cachorro. O animal se chama Talibã, tem 1 ano e 6 meses de vida e pertence à universitária Camila Oliveira, 19 anos, moradora do bairro Santa Martha.

Ele levou um tiro no peito e está internado em estado grave em um hospital veterinário na Capital.

Segundo Camila, o cão foi atingido por volta de 23h30 quando estava no quintal da residência onde ela mora. No momento dos tiros, a jovem estava acompanhada da mãe, avó e irmão dentro de casa.

"Coloquei o cachorro na varanda para limpar a casa e, logo depois, os tiros começaram. Quando escutei os disparos, fui me arrastando pelo chão da sala para abrir a porta. Em certo momento, ouvi ele latir alto", conta ela.

O cachorro Talibã levou um tiro na noite de quinta-feira (19) em Santa Martha (Foto: Acervo Pessoal)
O cachorro Talibã levou um tiro na noite de quinta-feira (19) em Santa Martha (Foto: Acervo Pessoal)
Depois de conseguir abrir a porta e colocar o cachorro para dentro de casa, a universitária percebeu que o animal estava ensanguentado. O cão havia levado um tiro no peito.

Cerca de cinco minutos depois, a jovem tentou buscar ajuda e conseguiu que um taxista a levasse até a uma clínica veterinária na Praia do Suá.

O cachorro passou a noite no hospital e está com uma bala alojada em seu peito. "Os veterinários disseram que o tiro não pegou em nenhum órgão. Se fosse no coração, ele teria morrido na hora", garante a jovem.

Como o animal está internado em uma clínica particular, Camila criou uma vaquinha online. Ela quer arrecadar dinheiro para ajudar no tratamento do Talibã.

Enquanto torce pela recuperação do animal de estimação, os planos da universitária e da sua família são de deixar o bairro onde vivem por causa da violência. "Depois de 30 anos que a minha família vive aqui, estamos pensando em nos mudar", conta,


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados