Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Há diversas formas de avaliar um treinador
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


Há diversas formas de avaliar um treinador

Há diversas maneiras de se avaliar o trabalho de um treinador. E tenho absoluta convicção de que, no Brasil, o excesso de competições no calendário apressa o desgaste e a distorção nas análises.

Em nenhum outro país o técnico disputa quatro torneios numa mesma temporada com a obrigação de vencê-los. Ainda que tenha chegado no ano em disputa, e que os números lhe sejam dos mais favoráveis.

E os exemplos de Abel Braga, no Flamengo, e Fernando Diniz, no Fluminense, são perfeitos para a reflexão.

Um põe o time em campo hoje para enfrentar o Corinthians, em São Paulo, sob o olhar desconfiado de parte da torcida contrariada com as trocas de posições promovidas no ataque.

O outro dirige o time num jogo contra o Cruzeiro, no Maracanã, sabendo que o quinto tropeço em seis jogos lhe trará sérios problemas.

As duas partidas são válidas pelas oitavas da Copa do Brasil e a passagem de fase ao final do “playoff” vale não só um bom dinheiro, como mantém o sonho de conquista.

Mas dá para levar a sério o desejo de troca no comando de um time ainda em fase de montagem e que tem saldo positivo?

O Flamengo de Abel conquistou três dos quatro troféus disputados. E tem 16 vitórias e só quatro derrotas nos 26 jogos do ano.

Diniz registra números mais modestos, mas bem favoráveis: venceu 13 e perdeu oito dos 27 em que esteve à frente do time do Fluminense. E o que me diverte é o seguinte: tem gente pedindo a demissão de Abel Braga no Flamengo porque o time não tem um bom padrão de jogo. E no caso do Diniz, a queixa é ao contrário — tipo: de que adianta a boa filosofia de jogo se os resultados não aparecem?

Ora bolas: é resultado ou desempenho?

Em minhas análises, levo em consideração os resultados porque sei que, na última linha, o torcedor olha mesmo é para isso.

E a partir do número de pontos obtidos, passo a olhar o tempo de trabalho e o estilo de jogo empregado de acordo com o que se tem disponível.

Cobro futebol mais imponente do Palmeiras de Felipão do que do Flamengo de Abel Braga. Mais do Grêmio de Renato Gaúcho do que do São Paulo de Cuca. E por aí vou.

Não lembro, confesso, de uma atuação que possa chamar de sensacional do Palmeiras de Felipão, em 2018. Ou do Corinthians de Fábio Carille, em 2017. E até do Palmeiras de Cuca, em 2016.

Mas não esqueço que os três foram campeões. Porque é o que vale.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Mais uma de Jorge Jesus

O técnico Jorge Jesus recomendou ao Flamengo a contratação de outro espanhol: o atacante Carlos Fernández, de 23 anos e 1,85m de altura, com direitos econômicos presos ao Sevilla, mas que foi …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões: o mau uso do árbitro de vídeo

Na medida em que a tabela da Série A do Brasileiro ganha um contorno mais expressivo, o mau uso do árbitro de vídeo começa a chamar atenção. Era sabido que haveria equívocos e injustiça nessa fase de …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

É treta...

A ausência de Romário foi a mais sentida na confraternização promovida pela CBF na Granja Comary, em Teresópolis, em comemoração dos 25 anos da conquista do tetra mundial. O evento reuniu ex-jogadore…


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O mistério de Pablo Marí

Há mesmo algo estranho nessa contratação do zagueiro espanhol Pablo Marí, de 25 anos, que o Flamengo anuncia como “reforço” para o elenco de Jorge Jesus. O jogador de 1,93m tem histórico medíocre e …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Jesus na Arena

Jorge Jesus estreia nesta quarta-feira (10) no comando técnico do Flamengo e, tão difícil quanto esse confronto com o Athletico/PR, na Arena da Baixada, pelas quartas de final da Copa do Brasil, …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões: Copa América

A conquista da Copa América devolve um pouco da autoestima e tira um sobrepeso das costas do novo presidente da CBF, Rogério Caboclo. Mas a dúvida agora é saber se a Seleção seguirá nas mãos de Tite …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Um Peru da América

É impossível crer que a CBF já não tenha um plano estratégico alternativo para a disputa da Copa América de 2020, a quarta nos últimos cinco anos. Mas, se não tiver, deixo desde já um conselho para …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A Copa Europa

A qualidade dos jogos da Copa América reforça a tese que venho defendendo por aqui a respeito do aproveitamento nas seleções sul-americanas dos jogadores que cumprem o calendário europeu. …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Fla oferece R$ 44 milhões a Pedro

A diretoria do Flamengo repete com o centroavante Pedro, de 22 anos, autor de 19 gols em 40 jogos do Fluminense em 2018, a estratégia adotada para contratar o uruguaio De Arrascaeta e o atacante …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A falta do protagonista

Repetirei aqui o que escrevi logo após a classificação da Seleção Brasileira, na última quinta-feira (27), em Porto Alegre. O time teve 17 finalizações no segundo tempo, contra duas da seleção …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados