search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Bolsonaro diz que liberação do FGTS será oficializada nos próximos dias

Notícias

Economia

Bolsonaro diz que liberação do FGTS será oficializada nos próximos dias


O presidente da República, Jair Bolsonaro, discursa na 54ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul, em Santa Fé, Argentina (Foto: Alan Santos/PR )
O presidente da República, Jair Bolsonaro, discursa na 54ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul, em Santa Fé, Argentina (Foto: Alan Santos/PR )
O presidente Jair Bolsonaro disse, ao final da Cúpula do Mercosul, em Santa Fé, que o anúncio da liberação de até 35% das contas ativas do FGTS, adiantadas pelo ministro da Economia Paulo Guedes durante o evento, será divulgado oficialmente nos próximos dias.
"É uma pequena injeção na economia", afirmou.

Nas palavras do presidente, o pacote do FGTS é "bem-vindo" para ajudar a retomada do crescimento. "A economia, segundo especialistas, começa a dar sinais de recuperação", afirmou.

Bolsonaro, que veio à cidade argentina para assumir a presidência pro-tempore do Mercosul, trouxe o filho mais novo, Jair Renan, 21, e o apresentou aos jornalistas dizendo: "ele está aprendendo".

O presidente também falou sobre a reforma tributária. Ele confirmou as mudanças no Imposto de Renda, conforme antecipou a Folha de S.Paulo no domingo (14).

"O que nós queremos fazer, conforme a explanação do Marcos Cintra no dia de ontem, na reunião de ministros, é mexer com os tributos federais, numa tabela de Imposto de Renda com no máximo 25% e dar uma adequada, e nós queremos, segundo o próprio Onix Lorenzoni, nós queremos ano a ano, diminuir nossa carga tributária."

Indagado sobre se o Mercosul havia passado de ser um assunto secundário para ser uma prioridade, afirmou que fazia críticas ao bloco no passado.

"Como parlamentar eu batia sempre no Mercosul por causa do viés ideológico. Agora, eu chegando, com a política econômica indicada por mim, com o propósito de buscarmos o comércio e não de pensar numa grande pátria bolivariana, usando o Mercosul para tal, nós redirecionamos o Mercosul. Estamos no Mercosul 2.0."

E completou: "Não é que nós mudamos de ideia, nós mudamos o Mercosul".


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados