Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Boletim médico aponta melhora de Bolsonaro; sonda e dreno são retirados

Notícias

Política

Boletim médico aponta melhora de Bolsonaro; sonda e dreno são retirados


Presidente postou foto sorrindo nas redes sociais (Foto: Divulgação / Twitter @jairmbolsonaro)
Presidente postou foto sorrindo nas redes sociais (Foto: Divulgação / Twitter @jairmbolsonaro)
Um dia depois de ter sido diagnosticado com pneumonia, o presidente Jair Bolsonaro retomou a atividade de despachos: conversou com o vice-presidente Hamilton Mourão por telefone, e recebeu um de seus ministros no quarto do hospital Albert Einstein, onde está internado há 12 dias.

Boletim médico divulgado nesta sexta-feira (8) diz que o presidente teve "boa evolução clínica nas últimas 24 horas, continua estável, afebril e sem dor".

O documento não trata da pneumonia, detectada na véspera, mas o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, confirmou que a infecção ainda permanece.

Bolsonaro segue em unidade semi-intensiva e não teve disfunções orgânicas, de acordo com os médicos.

O boletim diz ainda que Bolsonaro retirou a sonda nasográstrica e o dreno, que foram colocados no fim de semana, após acúmulo de líquidos, respectivamente no estômago e na cavidade abdominal.

Na quinta, exames detectaram uma pneumonia provocada por bactérias, o que levou a um reforço no tratamento com antibióticos que Bolsonaro vem fazendo desde domingo (3), quando teve febre pela primeira vez.

"O dreno colocado no seu abdome, há quatro dias, foi retirado hoje pela equipe da radiologia intervencionista. Devido à melhora do quadro intestinal e boa aceitação da dieta líquida, a sonda nasogástrica foi retirada. Permanece com os antibióticos e nutrição parenteral", diz o boletim.

Bolsonaro alimentou-se pela primeira vez na noite de quinta por via oral desde que foi internado em 27 de janeiro. Ele ingeriu caldo de carne, de galinha e gelatina. Todos são considerados parte de uma dieta líquida pelos médicos.

Este é o primeiro passo de reintrodução alimentar após a cirurgia para reconstrução do trânsito intestinal à qual ele foi submetido há 11 dias. Desde que foi internado, sua nutrição era feita por via endovenosa e nesta semana ele começou a beber água.

Gradativamente, a alimentação passa pelas etapas líquida, pastosa e sólida. A alta médica de pacientes submetidos a esse tipo de cirurgia normalmente só ocorre após a normalização de ingestão de comida e evacuação.

Nas redes sociais, Bolsonaro comemorou o fato de ter voltado a se alimentar e brincou que não é ainda um pão com leite condensado, como ele costuma comer no café da manhã.

A retomada de alimentação e divulgação nas redes sociais ocorre um dia depois da descoberta de uma pneumonia, comunicada por meio de boletim médico divulgado de quinta, um dia depois de ele ter registrado febre de 38 graus.

A detecção de pneumonia levou à ampliação do tratamento com antibióticos, iniciado no domingo (3), quando houve detecção de febre pela primeira vez após a cirurgia. A previsão de alta, inicialmente prevista para a última quarta, foi adiada e Bolsonaro terá de ficar internado pelo menos até o fim do tratamento com antibióticos, por mais seis dias.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados