search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Blitz de trânsito vai flagrar motorista que usar droga

Notícias

Cidades

Blitz de trânsito vai flagrar motorista que usar droga


Policiais em blitz: até o final do ano, o governo federal vai disponibilizar equipamento para flagrar usuários de droga (Foto: Arquivo A Tribuna)
Policiais em blitz: até o final do ano, o governo federal vai disponibilizar equipamento para flagrar usuários de droga (Foto: Arquivo A Tribuna)

Quem dirige sob o efeito de drogas como cocaína, maconha e ecstasy poderá ter problemas a partir deste ano. Isso porque o famoso teste do bafômetro vai ganhar um novo companheiro de blitz: o “drogômetro”, que será utilizado por agentes de trânsito em todo País, segundo o governo federal.

A Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, que é ligada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, estudou sobre o assunto durante três anos, ouvindo especialistas e testando diferentes tipos de tecnologia para escolher o equipamento.

O modelo escolhido, que é importado, aponta se a pessoa usou substâncias psicoativas através da saliva do motorista, coletada por uma espécie de canudo. A partir da mistura de uma amostra com um reagente, o equipamento indica se a pessoa usou ou não alguma droga, mas sem indicar a quantidade, como acontece no bafômetro.

O objetivo é reduzir os acidentes provocados por motoristas que usam essas substâncias.

A medida já é prevista no Código Brasileiro de Trânsito. “Ou seja, não há necessidade de uma alteração na lei, pois o mesmo artigo que penaliza o motorista que dirige sob o efeito de álcool também fala sobre substâncias psicoativas. A grande dificuldade em cumprir a lei era justamente flagrar a utilização dessas drogas”, afirmou o especialista em direito de trânsito, Paulo André Cirino.

Com isso, a infração será considerada gravíssima no valor de R$ 2.934,70 e suspensão da carteira de motorista por 12 meses. Quem se recusa a passar pelo teste é penalizado com a mesma multa.

A medida está em fase de elaboração e ainda não há previsão de quando entrará em prática nas blitzes. A possibilidade desse tipo de fiscalização foi elogiada pelo diretor-geral do Detran-ES, Givaldo Vieira. “Toda ferramenta que nos permite verificar que a pessoa está conduzindo com condições é importante. Vejo como uma medida simpática para aumentar a segurança, mas aguardamos mais detalhes”, disse.

Em nota, a Polícia Rodoviária Federal também ressaltou a importância do equipamento. “A identificação permitirá a confirmação do uso da substância, fato até então obtido somente através de exames clínicos, demonstrando a importância da adoção do sistema”.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados