search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Atentado com explosivos contra mesquita deixa mais de 60 mortos no Afeganistão

Notícias

Internacional

Atentado com explosivos contra mesquita deixa mais de 60 mortos no Afeganistão


Um ataque a uma mesquita no Afeganistão nesta sexta-feira (18) deixou mais de 60 mortos após o teto do templo desabar em consequência das explosões.

As autoridades da província de Nangarhar (que fica 100 km a leste de Cabul, na fronteira com o Paquistão), confirmaram que ao menos 62 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas na ação.

"As pessoas ainda estão usando uma escavadeira para tirar os corpos e os feridos dos destroços", disse Sohrab Qaderi, membro do conselho local. Por isso, afirmou ele, o número total de vítimas ainda pode subir.

Ainda não está claro como o ataque aconteceu. O porta-voz do governo de Nangarhar, Attaullah Khogyani, afirmou que duas bombas foram colocadas dentro da mesquita e explodiram durante as orações de sexta. Ele disse ainda que a maior parte das vítimas era de jovens.

Já o porta-voz da Presidência do Afeganistão, Sediq Seddiqi, disse que um homem-bomba se explodiu dentro do templo. Ele também usou as redes sociais para condenar o ataque. "O Taleban e seus parceiros em crimes horrendos continuam a mirar civis durante suas orações", disse.

O grupo, porém, negou participação no episódio e culpou o governo. "Todas as testemunhas afirmam que foi um ataque mortal das forças da Administração de Cabul", afirmou Suhail Shaheen, porta-voz do Taleban.

O Estado Islâmico, que atua na região, também não assumiu a autoria do atentado.

Este ataque acontece após a ONU publicar um novo relatório na quinta-feira (17) que afirma que o número de civis mortos e feridos subiu no Afeganistão no último trimestre.

Entre 1º de julho e 30 de setembro foram 1.174 civis mortos e 3.139 feridos diz o levantamento, um aumento de 42% em relação ao mesmo período de 2018. O relatório, que analisa a violência no país ao longo de 2019, enfatiza que "os afegãos foram expostos a níveis extremos de violência por muitos anos", apesar das promessas de todas as partes de "prevenir e mitigar os danos ao meio ambiente e aos civis".

"As vítimas civis são totalmente inaceitáveis", disse o representante especial da ONU no Afeganistão, Tadamichi Yamamoto, acrescentando que o documento demonstra a importância das negociações para um cessar-fogo e para um acordo político permanente.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados