Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Assessor de Trump sugere que Maduro pode acabar na prisão de Guantánamo

Notícias

Internacional

Assessor de Trump sugere que Maduro pode acabar na prisão de Guantánamo


John Bolton, conselheiro de segurança nacional dos EUA, afirmou nesta sexta (1º) que o ditador venezuelano, Nicolás Maduro, poderia ter uma "aposentadoria tranquila" em uma área de praia como a de Guantánamo, em Cuba, em referência ao local onde os EUA têm uma prisão militar.

Em entrevista a um programa de rádio, Bolton foi questionado pelo apresentador Hugh Hewitt sobre se Maduro poderia ter um destino parecido com o de ditadores como o romeno Nicolae Ceausescu ou o italiano Benito Mussolini, ambos executados.

"Bem, eu tuitei ontem [quinta], você sabe, eu desejo a ele uma aposentadoria longa e tranquila em uma linda praia longe da Venezuela", disse. "E quanto mais cedo ele tirar vantagem disso, mais cedo ele deve ter uma aposentadoria tranquila em uma bela praia, em vez de ser em uma área de praia como Guantánamo."

A prisão de Guantánamo ficou conhecida pelos casos de tortura contra detentos, em especial os acusados de envolvimento com os ataques de 11 de Setembro. Um relatório de 2014 do comitê de inteligência do Senado americano reconheceu o uso de tortura contra supostos terroristas.

Na conversa, Bolton disse que uma intervenção militar não era iminente, mas lembrou que o presidente Donald Trump colocou "todas as opções sobre a mesa" no caso venezuelano. "Mas nosso objetivo é uma transferência pacífica de poder."

Bolton avaliou que o problema na Venezuela é agravado pelo controle exercido pelas forças de segurança cubanas, que, segundo ele, "intimidam as forças armadas venezuelanas." "Não é acidente que, ao redor do hemisfério, as pessoas agora chamam o país de Cubazuela, porque os cubanos fazem muita parte do regime de Maduro".

Bolton afirmou que os EUA tentam trabalhar com Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional e que se declarou líder encarregado do país. "Não queremos dar a Maduro qualquer base para um argumento de que, de alguma forma, ele é um fantoche nosso. Ele é um líder corajoso e independente." O conselheiro de segurança nacional disse conversar com Trump várias vezes ao dia sobre a Venezuela.

"Nós ligamos para o presidente Juan Guaidó alguns dias atrás. Eles tiveram uma conversa excelente. O presidente está muito ativamente engajado nisso. E nós estamos olhando para uma gama completa de passos econômicos e políticos que ainda devem ser dados."

Na última segunda (28), os EUA impuseram novas sanções econômicas à Venezuela, bloqueando US$ 7 bilhões (R$ 26 bilhões) em ativos da PDVSA. O governo americano determinou ainda que os pagamentos recebidos por petróleo comercializado pela estatal venezuelana aos EUA devem ir para uma conta bancária inacessível a Maduro.

O Brasil também avalia medidas para dificultar o financiamento do regime do ditador venezuelano. Nesta sexta, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirmou que o governo Jair Bolsonaro (PSL) estuda o congelamento de bens de autoridades venezuelanas no Brasil como uma forma de aumentar a pressão internacional.

A tensão política na Venezuela aumentou no início do ano, quando Maduro assumiu seu novo mandato como presidente. A eleição do ditador não foi reconhecida pela Assembleia Nacional, de maioria opositora, que o classificou como usurpador - EUA, União Europeia e Brasil também não reconhecem Maduro como presidente do país.

Os protestos contra o ditador começaram na segunda da semana passada (21), no mesmo dia em que um grupo de 27 militares se rebelaram contra o regime e acabaram sendo detidos. As maiores manifestações, porém, ocorreram na quarta (23), quando Guaidó se declarou presidente encarregado.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados