As dores e as delícias da maternidade

A maternidade é complexa, paradoxal e cheia de nuances e ambiguidades. Por isso, é tão necessário que a gente discuta cada vez mais sobre o assunto! Diariamente vivemos realizações maravilhosas, mas as frustrações e tristezas existem e precisam ser faladas, acolhidas e respeitadas. Nada na vida é só felicidade ou só tristeza. Tudo tem prós e contras.

 Foto: Tássila Costa
Foto: Tássila Costa

Ser mãe requer renúncias, escolhas e sacrifícios. E muito, muito tempo e dedicação despendidos. Pensando nisso, resolvi fazer uma listinha bem resumida de pontos que amo e outros que não gosto na maternidade. Confere aí e me diz se temos algum em comum?

• Amo sentir você mexer dentro de mim, mas não gosto das dores, enjoos e limitações da gravidez;

• Amo olhar no seu rostinho, sentir seu cheiro, seu toque, mas não gosto do pós-parto e puerpério;

• Amo amamentar, te ver sugar e se nutrir do mais puro amor e do alimento mais saudável do mundo. Não gosto da dor, da febre, das rachaduras nos seios e da dieta de restrição;

• Amo seu sorriso, mesmo que, no início, sejam só espasmos. Não gosto de te ver chorar e não saber o porquê, além de não conseguir te acalmar;

• Amo te ver crescer forte e saudável. Não gosto quando fica doente;

• Amo te arrumar todo pra sair, te ver lindo e cheiroso. Mas não gosto quando faz coco justamente neste momento;

• Amo brincar de lego, quebra-cabeça, contar história e desenhar. Não gosto de brincar de luta;

• Amo te ver dormir sereno. Só não gosto quando você acorda com as galinhas, principalmente no fim de semana, eu adoraria dormir até mais tarde, ficaria eternamente agradecida;

• Amo te ver desenvolver, criar sua própria personalidade e amadurecer. Porém não gosto que me desafie e me teste sem parar;

• Amo te dar papa. Mas eu não gosto nem um pouco quando você não come, fala não ou faz hora com a minha cara;

• Amo seus beijos, abraços, carinhos e cheiros. No entanto, me irrita quando você me bate e faz pirraça;

• Amo te ouvir falar: “mamãe eu te amo”. Mas eu não gosto quando você me chama de feia e chata, isso dói.

A lista é interminável, tentei resumir. Só quero que saibam que é uma delícia ser mãe, mas dói e muito. Mãe não é sinônimo de felicidade 24 horas por dia, temos muitos momentos tristes, ficamos irritadas, choramos. Somos exigentes, enjoadas, somos de tudo um pouco, como qualquer ser humano, com qualidades e defeitos. Que tenhamos muito foco, força e fé nesta batalha diária. E para todas vocês que têm esta linda missão de vida, vamos juntas? Até a próxima!