search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

As células também respiram
Doutor João Responde

As células também respiram

A vida começa com um sopro e termina com um suspiro; esses extremos da respiração. Quando se fala em respiração, é comum pensar nos movimentos de inspiração e expiração do ar que vem da atmosfera.

Isso acontece pelo fato de se relacionar esses movimentos aos processos decorrentes da entrada e saída de oxigênio do organismo.

Além da pulmonar, realizada pelo corpo para obtenção do ar, existe outro tipo de respiração, denominada celular, que se relaciona com a obtenção e geração de energia pelo organismo.

A respiração celular ocorre de duas formas: uma, utilizando o oxigênio para a reação, denominada respiração aeróbica; e a outra, que não o utiliza, chamada de respiração anaeróbica.

As necessidades nutricionais do corpo são supridas com a ingestão de nutrientes, como açúcares, gorduras e proteínas.

Essas moléculas, entretanto, são muito grandes, o que faz com que o corpo necessite quebrá-las para poder utilizá-las.

Após essa digestão feita pelo organismo, restam carboidratos simples, como a glicose, os ácidos graxos e aminoácidos, que são posteriormente utilizados.

Essas moléculas são usadas para obter energia.

Entretanto, elas não podem ser utilizadas diretamente, sendo necessário processá-las para gerar outra molécula que poderá ser usada com essa finalidade, a adenosina trifosfato (ATP) .

A ATP é uma molécula simples, composta pela adenina, açúcar e fosfato.

Quando necessárias para alguma função ou reação do corpo, essas ligações são quebradas, liberando energia, conforme a necessidade do organismo. A glicose também serve como reserva de energia.

Quando não solicitada imediatamente, ela é armazenada na forma de glicogênio, que é um polímero feito de açúcar, podendo permanecer acumulado e disponível para quando o organismo necessitar de energia.

A organela citoplasmática responsável por este mecanismo de respiração é a mitocôndria, atuando como uma verdadeira usina de energia, onde a molécula de glicose é degradada de maneira a originar substâncias mais simples, como gás carbônico e água.

Na respiração, grande parte da energia química liberada durante oxidação do material orgânico se transforma em calor, contribuindo para a manutenção da temperatura corpórea em níveis compatíveis com a vida, compensando o calor que normalmente o organismo cede para o ambiente, sobretudo em dias frios.

A respiração aeróbica é o processo que trata da obtenção de energia utilizando o oxigênio como componente.

Nas mitocôndrias, ele utiliza um dos produtos da glicólise, o “piruvato”.
Assim, essa via de obtenção de energia acaba gerando muita adenosina a partir de pouca glicose.

Na respiração anaeróbica acontece uma série de reações que têm como finalidade a quebra do açúcar, não utilizando o oxigênio.

Nesta situação, a fermentação e glicólise são exemplos clássicos desse processo, não sendo uma forma muito eficiente para a geração de adenosina trifosfato.

Isso ocorre porque, ao final de todo o processo, é gerada pouca energia, ou seja, a glicose acaba produzindo pouca ATP.

Muito embora não se trate de um processo eficiente, ele é extremamente importante.

Isso acontece porque existem seres que não suportam o oxigênio, ou seja, para esses organismos, o oxigênio é extremamente tóxico.

Vale ressaltar que, em épocas remotas na história da vida, não existia oxigênio suficiente e disponível na atmosfera para que pudesse ser utilizado.

A respiração celular aeróbica e a anaeróbica são eventos realizados a fim de gerar energia para a célula. Foram elas que permitiram o surgimento e desenvolvimento da vida.

Os pulmões inspiram oxigênio e expiram gás carbônico, para que as demais células inspirem confiança e expirem lealdade.

João Evangelista Teixeira Lima é clínico geral e gastroenterologista

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Doutor João Responde

Os tipos da perda de memória e as suas causas

Esquecemo-nos sempre de lembrar as alegrias, mas nunca nos lembramos de esquecer os sofrimentos. O ressentimento tem melhor memória que o sentimento. Não se lembrar de onde guardou um documento, …


Exclusivo
Doutor João Responde

Enfermidade que acelera a vida

O tempo parece lento para quem está doente, e rápido para aquele que se encontra saudável. Nem sempre esta afirmação corresponde à realidade. Existe uma raríssima enfermidade que acelera a vida e …


Exclusivo
Doutor João Responde

Carambola: nutriente ou veneno?

Entre as saudosas lembranças da infância, surge, em meus pensamentos, o enorme quintal da casa dos meus tios. Naquele terreno arenoso, vicejavam mangueiras, cajueiros, abacateiros, gabiroba, abiu, …


Exclusivo
Doutor João Responde

Coçar nem sempre cessa coceira

O nome “Jussara” vem da palavra tupi que significa “coceira”, sendo usada para designar os espinhos de uma palmeira que os índios utilizavam como agulhas para tecer. O pó que saía …


Exclusivo
Doutor João Responde

Flatulência e arroto

O pudor é uma vigilante virtude. Apesar disso, liberar flatos e arrotos é um hábito saudável. Os distúrbios relacionados com o conteúdo de gás no tubo digestivo são frequentes em consultórios de …


Exclusivo
Doutor João Responde

Nó na garganta nem sempre tem uma causa emocional

Lágrimas escorrendo sobre os olhos, olhar disperso e um coração silencioso, amarrando as palavras com as cordas vocais, apertando o nó na garganta. Angústia e angina derivam de “angere”, que …


Exclusivo
Doutor João Responde

Divertículo de Meckel, o inimigo que derrotou Tancredo Neves

Cansado dos sucessivos governos militares, eu também ansiava por um presidente civil, ainda que indicado por meio de eleição indireta, como aconteceu com o mineiro Tancredo de Almeida Neves. Na …


Exclusivo
Doutor João Responde

A embaraçosa urina solta

Semana passada eu atendi uma senhora acometida por incômoda incontinência urinária. Este sintoma se mostra tão constrangedor que a paciente fez um longo rodeio, antes de abordar a referida queixa. …


Exclusivo
Doutor João Responde

Síndrome do ombro congelado

Esperando que o tempo lhe devolva a atividade, um braço repousando na tipoia nos ensina a vital importância de cada pedacinho do corpo. Se, durante a noite, fazemos um movimento descuidado dentro do …


Exclusivo
Doutor João Responde

A torturante insônia

Quem tem insônia não dorme e nem acorda de verdade. Com ruminantes pensamentos, noites de insônia tornam cansado o amanhecer. Tentando me concentrar, rolo na cama de um lado para o outro, e nada do …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados