search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Arte e censura
Tribuna Livre

Arte e censura

Muito se discute atualmente sobre a censura a exposições de arte e outras formas de expressão artística. Faz-se necessária uma reflexão sobre a essência do papel da arte, já que a arte é a ruptura com o real; é a expressão humana em abstração da realidade, mesmo quando relacionada à vida real, como num documentário cinematográfico, ou mesmo nas expressões simbólicas da arte rupestre, por exemplo, em que os artistas retratavam caçadas, rituais exotéricos e o sexo.

A pintura rupestre não era o simples registro do real, mas uma leitura – ou ruptura – dele. Essa ruptura com o real é que faz da arte uma expressão provocadora que causa diferentes reações e entendimentos.

Ela pode provocar enlevo, embevecimento pelo sublime, revolta, reflexões sociais, irritação, enfim, toda sorte de sentimentos e leituras sobre quadros, instalações, fotografias, esculturas, filmes, peças de teatro, música, poesias, livros, culinária, artes visuais, danças, moda.

Imaginemos o mundo por uma semana sem nenhuma manifestação artística, em pleno silêncio, sem cor e sem gosto. Basta que imaginemos isto para entendermos que vivemos e trabalhamos para consumir essas coisas, e não apenas sobreviver para acumular.

Imaginemos, também, o pior: um mundo em que todas essas expressões fossem previamente definidas em suas temáticas e formas de apresentação, de acordo com os interesses e pensamentos de grupos políticos e/ou religiosos que fossem a maioria de um governo, e estabelecessem uma receita, uma regra de censuras que determinasse o que pode ou não ser expressado pela arte.

A censura não mede a arte, mas a reduz, limita a expressão, poda a liberdade de se romper com o real para se criticar ou enaltecer. Mais do que isso, impede o elemento mais importante da arte que é o imprevisível olhar do outro, o olhar que completa o teor de provocação que a arte produz. O que a mim pode parecer pudico, ao outro pode ser permissivo. O nu pode ser o belo, ou a afronta.

Proponho uma reflexão crítica que nos leve a mensurar e compreender que a supremacia moral ou de costumes não pode se traduzir em imposição de regras que não sejam democráticas em sua plenitude. Ou seja, é necessária a liberdade de cada pessoa à crítica, para o bem ou para o mal, de poder usufruir da arte ou de escolher nem mesmo conhecê-la, sem imposições.

Sabemos que o problema não está no vinho, mas em quem o bebe e o quanto bebe. A arte é o baluarte da democracia; algemá-la é promover a massificação irreal, sem ruptura com o real. Seria a construção de outro hiper-real, moldado, represado, intencional, sem permitir o olhar do outro.

Censurar a arte é encerrar o processo evolutivo humano, pois é a partir dela que construímos a nossa civilização.

A tinta nasceu juntamente com os machados de pedra; se retirarmos a tinta de nossa história, teríamos somente o horror da guerra, e talvez nem mesmo a raça humana caminhasse por este mundo.

Defender a liberdade da expressão artística é, dessa forma, defender a nossa civilização, no que há de padecimento ou de alumbramento nela. A censura da arte é uma mordaça nos saltos civilizatórios do homem. Seria como abolir o calor do sol para se ficar apenas com seu brilho. Ou o contrário, e muito pior: ficar apenas com o calor e absolutamente sem a luz.

ROGÉRIO BORGES é secretário de Cultura da Ufes

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

O custo socioeconômico da “imobilidade” urbana no Brasil

Um estudo realizado pela Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) mostra que o custo socioeconômico da “imobilidade” urbana no Brasil cresceu 7% em um ano e se aproxima de meio trilhão de …


Exclusivo
Tribuna Livre

A engenharia muda o mundo e está em tudo o que nos cerca

Com o ritmo acelerado da vida contemporânea, quase nunca nos sobra tempo para refletir sobre o mundo a nossa volta. Mas, se pararmos para pensar, concluímos que a engenharia está em tudo o que nos …


Exclusivo
Tribuna Livre

Ineditismo e vanguarda: o Marco Regulatório das Startups

Foi publicada, no último dia 26 de novembro, a Lei Complementar Estadual nº 929/2019, de iniciativa do Governador do Estado, que institui instrumentos e procedimentos para o fomento às parcerias …


Exclusivo
Tribuna Livre

Sábio é quem aprende com a experiência alheia

Na semana passada, tivemos por aqui, nos Estados Unidos, a celebração do famoso feriado de Thanksgiving (Dia de Ação de Graças, destinado a agradecer a Deus os bons acontecimentos do ano). Aproveitam…


Exclusivo
Cidades Tribuna Livre

É preciso priorizar a mobilidade das pessoas e não dos veículos

Todos querem viver numa cidade que ofereça uma boa qualidade de vida. Para tanto, faz-se necessário compreendermos a “mobilidade peatonal”, reconhecendo os pedestres nos planejamentos estratégicos …


Exclusivo
Tribuna Livre

Por que o Tribunal de Contas deu certo

O Tribunal de Contas do Espírito Santo completou 62 anos de existência em 2019. Por desairosa que seja, a verdade é que, ao longo do tempo, consumiu imensos recursos públicos em ajustes políticos que …


Exclusivo
Tribuna Livre

Os jogos precisam ser legalizados no Brasil

O ano era 1946. No dia 30 de abril, foi publicado o Decreto Lei 9215 que proibiu os (erroneamente) denominados jogos de azar. Os fundamentos da proibição? Que a repressão aos jogos de azar é um …


Exclusivo
Tribuna Livre

O ônus do Judiciário e o Legislativo que joga para a plateia

Não é a primeira vez, e certamente não será a última, que vivenciamos certas articulações, no núcleo do poder, com o objetivo, simplesmente, de tentar limpar imagens manchadas e acalmar os ânimos da …


Exclusivo
Tribuna Livre

Comer bem para viver bem

Mesmo antes das muitas descobertas científicas que revolucionaram o entendimento sobre o funcionamento do corpo humano; a correlação entre alimentação, atividades físicas e condições de saúde já era …


Tribuna Livre

Raízes capixabas de Ayrton Senna

Ayrton Senna da Silva marcou nossas manhãs de domingo e fazia-nos sentir mais brasileiros, numa época de muito descrédito com o país, por sua ousadia, destreza e espírito de campeão. Tornou-se ídolo …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados