search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Arte e censura
Tribuna Livre

Arte e censura

Muito se discute atualmente sobre a censura a exposições de arte e outras formas de expressão artística. Faz-se necessária uma reflexão sobre a essência do papel da arte, já que a arte é a ruptura com o real; é a expressão humana em abstração da realidade, mesmo quando relacionada à vida real, como num documentário cinematográfico, ou mesmo nas expressões simbólicas da arte rupestre, por exemplo, em que os artistas retratavam caçadas, rituais exotéricos e o sexo.

A pintura rupestre não era o simples registro do real, mas uma leitura – ou ruptura – dele. Essa ruptura com o real é que faz da arte uma expressão provocadora que causa diferentes reações e entendimentos.

Ela pode provocar enlevo, embevecimento pelo sublime, revolta, reflexões sociais, irritação, enfim, toda sorte de sentimentos e leituras sobre quadros, instalações, fotografias, esculturas, filmes, peças de teatro, música, poesias, livros, culinária, artes visuais, danças, moda.

Imaginemos o mundo por uma semana sem nenhuma manifestação artística, em pleno silêncio, sem cor e sem gosto. Basta que imaginemos isto para entendermos que vivemos e trabalhamos para consumir essas coisas, e não apenas sobreviver para acumular.

Imaginemos, também, o pior: um mundo em que todas essas expressões fossem previamente definidas em suas temáticas e formas de apresentação, de acordo com os interesses e pensamentos de grupos políticos e/ou religiosos que fossem a maioria de um governo, e estabelecessem uma receita, uma regra de censuras que determinasse o que pode ou não ser expressado pela arte.

A censura não mede a arte, mas a reduz, limita a expressão, poda a liberdade de se romper com o real para se criticar ou enaltecer. Mais do que isso, impede o elemento mais importante da arte que é o imprevisível olhar do outro, o olhar que completa o teor de provocação que a arte produz. O que a mim pode parecer pudico, ao outro pode ser permissivo. O nu pode ser o belo, ou a afronta.

Proponho uma reflexão crítica que nos leve a mensurar e compreender que a supremacia moral ou de costumes não pode se traduzir em imposição de regras que não sejam democráticas em sua plenitude. Ou seja, é necessária a liberdade de cada pessoa à crítica, para o bem ou para o mal, de poder usufruir da arte ou de escolher nem mesmo conhecê-la, sem imposições.

Sabemos que o problema não está no vinho, mas em quem o bebe e o quanto bebe. A arte é o baluarte da democracia; algemá-la é promover a massificação irreal, sem ruptura com o real. Seria a construção de outro hiper-real, moldado, represado, intencional, sem permitir o olhar do outro.

Censurar a arte é encerrar o processo evolutivo humano, pois é a partir dela que construímos a nossa civilização.

A tinta nasceu juntamente com os machados de pedra; se retirarmos a tinta de nossa história, teríamos somente o horror da guerra, e talvez nem mesmo a raça humana caminhasse por este mundo.

Defender a liberdade da expressão artística é, dessa forma, defender a nossa civilização, no que há de padecimento ou de alumbramento nela. A censura da arte é uma mordaça nos saltos civilizatórios do homem. Seria como abolir o calor do sol para se ficar apenas com seu brilho. Ou o contrário, e muito pior: ficar apenas com o calor e absolutamente sem a luz.

ROGÉRIO BORGES é secretário de Cultura da Ufes

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

Trabalhadores de aplicativos são autônomos ou empregados?

Numa “live” recente, o ministro Paulo Guedes referiu-se a taxistas e faxineiras como “empreendedores”. Mas...seriam mesmo? Dicionários online ensinam que empreendedor é o “indivíduo que possui …


Exclusivo
Tribuna Livre

O Rio de Janeiro continua lindo, mas até quando?

Matéria jornalística exibida recentemente no Rio de Janeiro apresentou dados aterrorizantes da criminalidade no estado. Os dados apontam um mapa inédito do crime e foi produzido pela Polícia …


Exclusivo
Tribuna Livre

Desafios da liderança em tempo de pandemia e home office

O ambiente organizacional ao longo dos anos vem passando por várias mudanças como, por exemplo, desenvolvimento de tecnologias, mudança dos mercados, das relações de trabalho, dentre outras. Além …


Exclusivo
Tribuna Livre

A pandemia, o déficit de visibilidade e o desvario do olhar

No antigo normal, na vida que se vivia em duas fatias, a presencial e a digital, o olhar e o dar-se ao olhar alheio permitiam uma verdadeira farra de visibilidade. Mas, no meio da vertigem de …


Exclusivo
Tribuna Livre

Motivação no isolamento torna a rotina menos estressante

Diante de uma pandemia e do isolamento social, pessoas com rotinas agitadas foram de repente obrigadas a desacelerar. Ganharam mais tempo com a família, aumentaram os afazeres de casa, tiveram seus …


Exclusivo
Tribuna Livre

Congresso tem mais funcionários do que 48 municípios do Estado

O Congresso Nacional aprovou e já está em pleno vigor a Lei Complementar nº 173, de 27 de maio de 2020, que trata da ajuda financeira a estados e municípios e estabelece o “Programa Federativo de …


Exclusivo
Tribuna Livre

Desafios da educação após a pandemia do novo coronavírus

Estudos recentes, como em Todos pela Educação (05/2020), mostram que os desafios com que se defrontarão gestores e profissionais da Educação quando do retorno das aulas presenciais são de tal …


Exclusivo
Tribuna Livre

A digitalização dos planos de saúde acelerada pela pandemia

Grandes desafios podem provocar grandes revoluções. A necessidade de superar adversidades leva a humanidade a repensar hábitos e valores e a usar todo o seu potencial de criação. Nestes tempos …


Exclusivo
Tribuna Livre

A importância da Lei da Fauna capixaba em tempos de Covid

Em dezembro de 2019, foi sancionada a Lei Estadual de Proteção à Fauna que, dentre outros assuntos, cuida da prevenção de doenças advindas da relação humana com os animais, alertando sobre o perigo …


Exclusivo
Tribuna Livre

Relacionamentos abusivos mais evidentes durante a pandemia

É significativo o aumento de casos de violência doméstica durante o isolamento social. Mas, infelizmente, a pandemia apenas traz à tona questões já presentes. É num momento de excesso ou modificação …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados