Álvaro Dias

Álvaro Dias

Podemos
Cabo Daciolo

Cabo Daciolo

Patriota
Ciro Gomes

Ciro Gomes

PDT
Geraldo Alckmin

Geraldo Alckmin

PSDB
Guilherme Boulos

Guilherme Boulos

PSOL
Henrique Meirelles

Henrique Meirelles

MDB
Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro

PSL
João Amoêdo

João Amoêdo

Novo
João Goulart Filho

João G. Filho

PPL
José Maria Eymael

J. Maria Eymael

PSDC
Luis Inácio Lula da Silva

L. Inácio Lula

PT
Marina Silva

Marina Silva

Rede
Vera Lúcia

Vera Lúcia

PSTU

4% das intenções de voto

Última pesquisa Datafolha

Eleições 2018

Após ser chamado de jumento de carga, Mourão diz que Ciro é desesperado


Hamilton Mourão afirmou que a "baixaria não interessa a ninguém" (Foto: Divulgação/Exército)
Hamilton Mourão afirmou que a "baixaria não interessa a ninguém" (Foto: Divulgação/Exército)
Vice na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), o general Hamilton Mourão respondeu as críticas feitas pelo presidenciável Ciro Gomes (PDT), que o chamou de "jumento de carga", dizendo que o gesto reflete "desespero" e "falta de argumentos".

"A baixaria desse nível não interessa a ninguém. Apenas a pessoas desesperadas, que não representam o pensamento nacional. Ofensas, partindo de Ciro Gomes, não têm relevância pra mim. Trata-se de alguém que, em um debate, não tem argumentos", respondeu o general por meio de sua assessoria de imprensa.

O candidato do PDT fez duras críticas às Forças Armadas nesta quarta-feira (12) durante sabatina promovida pelo jornal O Globo, em parceria com a revista Época e com o Valor Econômico.

Além de ter criticado o vice de Bolsonaro, o pedetista disse que o comandante do Exército, general Villas Bôas, "provavelmente pegaria uma cana" por afirmar que o próximo presidente eleito poderá ter a "legitimidade questionada".

"No meu governo, militar não fala em política. Ele estaria demitido e provavelmente pagaria uma cana. Ele está fazendo isso para tentar calar a voz das cadelas no cio que estão se animando. Esse lado fascista do povo brasileiro", afirmou.

Mourão disse que a ofensa de Ciro se deu por falta de argumentos e acrescentou que não vai se envolver em "retórica de baixo nível, pois não é isso que os eleitores desejam e tampouco a educação que eu recebi".